O impacto do asteroide que levantou uma nuvem de pó.

Foto: Redes Sociais ou Banco de Imagens

Um estudo recente revela que uma gigantesca quantidade de pó foi lançada na atmosfera quando um asteroide bateu na Terra há 66 milhões de anos, escurecendo o céu por 15 anos.

Foto: Redes Sociais ou Banco de Imagens

Esse pó bloqueou a luz solar e reduziu a temperatura média do planeta em 26°C, causando a morte de muitas plantas e animais, incluindo os dinossauros.

Foto: Redes Sociais ou Banco de Imagens

O estudo, publicado na revista Nature Geoscience, usou simulações computacionais para estimar a quantidade e a distribuição do pó na atmosfera após o impacto.

Foto: Redes Sociais ou Banco de Imagens

Os pesquisadores descobriram que o pó era composto principalmente de carbonato de cálcio, um mineral abundante nas rochas do local do impacto, na Península de Yucatán, no México.

Foto: Redes Sociais ou Banco de Imagens

O carbonato de cálcio se fragmentou em partículas muito pequenas, que permaneceram suspensas na atmosfera por muito tempo, refletindo a radiação solar de volta ao espaço.

Foto: Redes Sociais ou Banco de Imagens

O estudo confirma uma hipótese anterior que sugeriu que o inverno causado pelo asteroide foi resultado do pó, e não de cinzas vulcânicas ou fuligem de incêndios florestais.

Foto: Redes Sociais ou Banco de Imagens

Os autores do estudo esperam que seus resultados ajudem a entender melhor os efeitos de grandes impactos na história da Terra e em outros planetas.

Foto: Redes Sociais ou Banco de Imagens

Criação:  Aléxia Silveira

Imagens de celebridades:  Instagram Outras Imagens: Banco de imagens