19 de julho de 2024
Política • atualizado em 12/01/2021 às 09:17

Waldir traiu os eleitores, dispara Major Vitor Hugo

Para Major Vitor Hugo, Waldir traiu os eleitores do PSL
Para Major Vitor Hugo, Waldir traiu os eleitores do PSL

O deputado federal Major Vitor Hugo está tranquilo com relação à um possível processo que pode expulsá-lo do PSL. Acusado pelo presidente regional da legenda e também deputado federal Delegado Waldir de “infidelidade partidária”, Vitor Hugo afirma que ele é quem traiu os eleitores. “Na verdade quem está traindo o próprio partido são todos os deputados como o Waldir que manifestam apoio a um candidato que congrega para si partidos de esquerda”, pontuou nesta segunda-feira (11/01) em entrevista ao Diário de Goiás.

LEIA TAMBÉM: Delegado Waldir defende expulsão de Major Vitor Hugo do PSL

Vitor Hugo se referia ao aceno que Waldir e outros deputados federais do PSL estão fazendo ao candidato a presidência da Câmara dos Deputados, Baleia Rossi (MDB-SP). Por Rossi ter em seu bloco apoio de legendas como o PT, PDT, PV, PCdoB, Rede e PSB, uma aliança com o PSL é algo inaceitável.

“Infidelidade partidária” pode promover expulsão de Major Vitor Hugo do PSL

“Ninguém no Brasil que votou no PSL espera que o nosso partido esteja no bloco em que estejam PT, PCdoB, PSB, PDT, Rede, PV. Que são os partidos de oposição e os partidos de esquerda. Na verdade quem está traindo o próprio partido são todos os deputados como o Waldir que manifestam apoio a um candidato que congrega para si partidos de esquerda”, pontuou Major Vitor Hugo. 

Por fim, disparou que Soares é quem estava traindo os eleitores e a própria legenda. “A verdade quem está traindo o próprio partido são todos os deputados como o Waldir que manifestam apoio a um candidato que congrega para si partidos de esquerda. Então, isso pra mim tá cada vez mais claro que essa traição ao próprio partido, está em paralelo com a traição deles aos eleitores. Milhões de eleitores votaram nos parlamentares do PSL e até no presidente da república [Jair Bolsonaro], para que nós nos contrapuséssemos à esquerda”, concluiu.

Jantar com Lira

Major Vitor Hugo também pontuou confiança na eleição de Arthur Lira à Câmara dos Deputados. Ele está reunido num jantar nesta segunda-feira (11/01) com o pepista no Palácio Pedro Ludovico em um encontro promovido pelo governador Ronaldo Caiado (DEM-GO). “Já tivemos uma reunião prévia com o deputado Arthur Lira no próprio hangar que ele pousou no aeroporto, já tivemos uma reunião preliminar, com os deputados da bancada e agora vamos conversar com o governador. Tenho certeza que vai ser uma oportunidade excepcional para discutir o contexto goiano dentro de todo o panorama brasileiro. E também a expectativa que todos nós temos em torno dos trabalhos dentro dos próximos dois anos de trabalho da casa”, destacou.

Sobre o candidato, Vitor Hugo elogiou a competência e lembrou os trabalhos de Lira à frente da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados. ““O deputado Arthur Lira é uma pessoa pragmática, muito experiente como parlamentar. Já comandou a CCJ da Câmara. Como presidente da CCJ, tem grandes referências. Os deputados mais antigos que eu que estavam na Câmara, alguns até aqui da bancada goiana como o João Campos, tem uma grande admiração pelo Arthur Lira no quesito de organização, de dar espaço para todos os deputados e distribuir bem as relatorias”, destacou.

O deputado federal também destacou algumas pautas que o próximo presidente da Câmara terá a missão de tocar. “Acho que é importante termos uma reforma administrativa, tributária, a PEC emergencial, revisão do pacto federativo e outros temas importantes. Exploração econômica de terras indígenas, posse e porte de armamento. Temos muitos temas importantes a serem enfrentados e precisamos de ter um líder na Casa que de maneira democrática que faça esses temas avançarem”, concluiu.


Leia mais sobre: Destaque 2 / Política

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.