logomarcadiariodegoias2017

fluvia amorim foto dg.jpg

Com a chegada de 37% das doses destinadas para Goiânia pelo Ministério da Saúde nesta semana, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) iniciará a vacinação na próxima segunda-feira (16). No entanto, nesta primeira etapa só poderão ser imunizados profissionais da saúde e idosos, que estão dentro do grupo de risco.

“A escolha dos grupos é baseada em duas questões principais. Primeiro: os grupos que têm maior número de casos graves e os profissionais da saúde entram porque precisamos dessa força de trabalho nas unidades de saúde. Quanto mais profissionais doentes, menos trabalhadores e mais dificuldade de acesso aos usuários. Os idosos porque dentro do grupo de risco é o grupo que tem tido maior número de casos graves. Além disso, estamos baseando na quantidade de idosos que estamos recebendo nessa primeira etapa e quais os grupos que precisam mais nesse primeiro momento. Isso não quer dizer que os outros não receberão. Todas as pessoas dos grupos de risco que são elegíveis para receber a vacina, receberão até o dia 1º de junho. A vacinação começa na próxima semana”, afirmou a superintendente de Vigilância em Saúde, Flúvia Amorim.

Em entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (10), a superintende ressaltou que mesmo depois de vacinadas, as pessoas devem continuar mantendo os cuidados básicos, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar álcool em gel e tampar a boca ao tossir ou espirrar.

“Em relação aos casos, estamos tendo aumento de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave e também pelo vírus H1N1, mas o pânico só gera problema. O que a gente precisa fazer e tomar todas as medidas de proteção possíveis. Uma delas é a vacina, e com certeza é a melhor. A segunda forma são as medidas de precaução que a gente tem divulgado insistente. Estou dizendo isso porque o fato de receber a vacina não quer dizer que está 100% protegido, precisa ter os cuidados”, disse.

Flúvia Amorim também explicou como se dá a imunização das pessoas com a vacina que será aplicada a partir da próxima semana. “Em relação à trivalente, que é a que nós usamos enquanto público no Brasil inteiro, é uma vacina que protege contra três vírus, a H1N1, H3N2 e Influenza B. então, esses são os vírus, que pelas nossas investigações epidemiológicas. Com a vacina, que é o objetivo, a gente evita formas graves e óbito”, conclui.

Questionada sobre a não vacinação de crianças, de seis meses a cinco anos, nesta primeira etapa, a secretária de Saúde, Fátima Mrué, destacou que não existe efetivo suficiente para atender todos os integrantes do grupo de risco ao mesmo tempo.

“A justificativa é mais técnica e estratégica. Não é que não pode disponibilizar todas. Não há força de trabalho para vacinar todos os grupos de risco ao mesmo tempo em nenhum local”, comentou.

Além disso, Fátima Mrué também disse que a população deve se tranquilizar para evitar pânico. “Primeiro, a população se tranquilizar. Uma das grandes medidas preventivas já vai ser iniciada na segunda-feira, que é a vacina, e manter ainda todas as precauções necessárias uma vez que a vacina não protege de todos os microrganismos que são envolvidos nesses quadros respiratórios. Então, as medidas ainda são parte da prevenção muito importante”, afirmou.

A Campanha Nacional de Vacinação será iniciada em Goiânia em 16 de abril e encerrada no dia 1º de junho. Serão vacinadas, principalmente, as pessoas que fazem parte do grupo que risco, que são idosos, profissionais da saúde, da educação e do sistema prisional, pessoas com doenças crônicas, gestantes, crianças entre seis meses e cinco anos, população indígena e carcerária. 

Veja vídeo:

Leia mais:

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

Reportagem Especial

TVDG

Goiás na Frente: Estado repassa R$ 12 milhões a 35 municípios
Goiás na Frente: Estado repassa R$ 12 milhões a 35 municípios
Goiás na Frente: Estado repassa R$ 12 milhões a 35 municípios

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

SEARCH