12 de agosto de 2022
À favor da modernidade

Vereador propõe projeto para que o Zoológico de Goiânia aceite outras formas de pagamento

Proposta de Lucas Kitão quer atualizar a legislação para que os órgãos públicos possibilitem o pagamento de taxas e ingressos por cartão e PIX
O novo projeto de lei foi apresentado pelo vereador Lucas Kitão. Foto: Portal da Câmara Municipal
O novo projeto de lei foi apresentado pelo vereador Lucas Kitão. Foto: Portal da Câmara Municipal

O projeto de lei que tem por objetivo permitir que órgãos públicos passem a aceitar pix e cartão de crédito e débito nos pagamentos foi apresentado, nesta terça-feira (02/07), pelo vereador Lucas Kitão (PSD). A proposta irá beneficiar atrações gerenciadas por órgãos públicos, como o Parque Zoológico de Goiânia.

O Zoológico da capital é administrado pela Agência Municipal de Turismo, Eventos e Lazer (Agetul). Atualmente, o parque aceita pagamento de ingresso apenas à vista, no dinheiro, custando R$ 5 por pessoa.

De acordo com o vereador, a forma de pagamento única representa uma limitação e desincentivo ao turista goianiense. Com o surgimento e popularização dos pagamentos digitais, o dinheiro em espécie está sendo cada vez menos usado.

Continua após a publicidade

“Nossa intenção é atender a maior parte da população que utiliza outros serviços de pagamento que já se tornaram mais cômodos e seguros para todos, portanto é necessário que o município avance para atender às necessidades da população e garantir o direito irrestrito aos serviços prestados, independentemente da forma que escolher para fazer o pagamento”, justifica o parlamentar.

O parlamentar ainda ressalta a necessidade de divulgar a nova provável mudança com publicidade, espalhando faixas e informes sobre a nova forma de compra de ingressos. “É importante que a cidade migre para a forma digital e que todos tenham o conhecimento das possibilidades”, acrescenta.

Se o texto do projeto for aprovado pelas comissões e pelas votações em plenário, passará por sanção no Paço Municipal dentro do prazo de 180 dias, para começar a valer a nova lei.

Continua após a publicidade