25 de junho de 2022
Destaque 3

Vanderlan defende implantação de polos de desenvolvimento em Goiânia

Vanderlan apresentou projeto para flexibilizar compra de vacinas. (Foto: Fecomércio)
Vanderlan apresentou projeto para flexibilizar compra de vacinas. (Foto: Fecomércio)

Pré-candidato do PSD à prefeitura de Goiânia, Vanderlan Cardoso defendeu nesta terça-feira (15), em sabatina da Fecomércio-GO, a implantação de polos de desenvolvimento regionalizados na capital. A ideia, argumentou o senador, é impulsionar a geração de emprego e renda.

Vanderlan explicou que os polos seguiriam as vocações econômicas de cada região. Além disso, o pré-candidato pretende que os segmentos recebam incentivos fiscais de acordo com a realidade de cada um.

“Goiânia tem a vocação do calçado, da confecção, de tanta coisa, e isso não é aproveitado. Não existe um fomento, um incentivo específico para essas empresas iniciarem. Depois disso, elas caminham com as próprias pernas”, disse.

Continua após a publicidade

O senador apontou também que a capital não pode se manter refém apenas do setor de serviços. “Temos que modernizar. É muito bom os serviços. Dá para conciliar, não ficar refém só de um setor. Temos que investir. Aí que falo dos polos de desenvolvimento. São muitos os que vamos apresentar, de acordo com a realidade de cada região”.

Para Vanderlan, polos regionalizados de desenvolvimento podem até mesmo garantir melhorias no transporte público. Ele citou estudos e afirmou que, caso o trabalhador permaneça mais perto de casa, haveria uma redução de até 30% da demanda. “Aí já reduzimos a superlotação”, frisou.

O nome do PSD para o Paço expôs também a ideia de atrair parques tecnológicos para Goiânia. Uma das ideias seria propor desoneração do ISS. “Os municípios que investiram em parques tecnológicos se transformaram. A qualidade de vida, os empregos. Se é um setor que gera e tem valor agregado, por que não fazer um ISS diferenciado até que essas empresas se estabeleçam?”, questionou. “É melhor ter 30% ou 20% de alguma coisa do que 100% de coisa nenhuma”, completou.

Continua após a publicidade