26 de maio de 2022
Cidades

Uso da bicicleta ganha força no Brasil

Frente parlamentar das ciclovias é lançada em Brasília. Em São Paulo bicicletas são alugadas

A luta pela implantação de ciclovias ganha força no Brasil. Nessa quinta-feira (24) será lançada a Frente Parlamentar em Defesa das Ciclovias. Ela tem como objetivos debater políticas públicas de mobilidade urbana e atuar pela implantação de ciclovias nas cidades brasileiras. O ato de lançamento será realizado às 9 horas, no Plenário 13. Antes disso, às 8h30, haverá um passeio ciclístico da Catedral até a Câmara.
A iniciativa de criação da frente parlamentar é das deputadas Marina Santanna (PT-GO) e Rebecca Garcia (PP-AM) e dos deputados Márcio Macêdo (PT-SE), Policarpo (PT-DF) e Vicentinho (PT-SP). Rebecca Garcia, que será coordenadora da frente na região Norte, disse que pretende viabilizar propostas alternativas e sustentáveis para aumentar a quantidade de ciclovias, principalmente na Amazônia.
Entre as metas da frente parlamentar estão também a discussão de medidas de integração entre a bicicleta e os modos coletivos de transporte, e o incentivo à adoção de políticas e ações para implementação de infraestrutura do sistema cicloviário brasileiro.
Além de parlamentares que integram a frente, participarão da solenidade de lançamento representantes dos ministérios dos Transportes, da Saúde, do Meio Ambiente e das Cidades; do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran); e das entidades União dos Ciclistas do Brasil, Rodas da Paz e Pedal Goiano.

 

Continua após a publicidade

Equanto isso em São Paulo

Na capital paulista o uso da bicicleta ganha mais um empurrãozinho. Começa a funcionar nessa quinta-feira o sistema de empréstimo de bicicletas de larga escala. Dez estações já estarão em funcionamento, cada uma com cerca de dez bikes disponíveis. A ideia é que, nos próximos três anos, 300 estações coloquem à disposição dos paulistanos 3 mil bicicletas para aluguel.

O sistema será operado pelo Itaú – que já tem um sistema com 600 bicicletas no Rio – e recebeu o nome de Bike Sampa. Os paulistanos vão poder checar pela internet e no celular qual é o bicicletário mais próximo, com aparelhos disponíveis para uso. As viagens de até 30 minutos são gratuitas – paga-se R$ 5 pela hora excedente. Para usar o sistema, também é necessário ter passe mensal – com mensalidade de R$ 10.

Continua após a publicidade

Quando todo o sistema estiver concluído, o objetivo é que a cidade tenha uma rede de estações de empréstimo em uma distância de um quilômetro entre uma e outra. Assim, será possível pegar uma bicicleta perto do metrô, do ponto de ônibus ou de casa, por exemplo, e deixá-la na estação mais próxima do trabalho. A Secretaria de Transportes também fará ciclorrotas em áreas próximas de estações – uma já está sendo pintada e sinalizada na região da Vila Mariana. (Com informações do PT e da Agência Estado)

Leia mais sobre:
Cidades