17 de agosto de 2022
Especial

Uma navalha e uma vida: as histórias do barbeiro que nunca teve conta bancária, nem usa celular

(Rui já cortou mais de 106 mil cabelos. Foto: Altair Tavares)
(Rui já cortou mais de 106 mil cabelos. Foto: Altair Tavares)


 

“Você sabe o que é ter um amor, meu senhor?”, o verso de Lupicínio Rodrigues em “Nervos de Aço” era uma referência à dor de cotovelo que o compositor gaúcho teve em seu primeiro relacionamento. Encontrou sua noiva “nos braços de um outro qualquer” e daí houve a inspiração para o que é um dos maiores clássicos da música brasileira.

Continua após a publicidade

A “dor de cotovelo” acaba aqui. As histórias que contaremos agora, nem de longe tem essa conotação. “Você sabe o que é ter um amor, Ruimar”? Ele sabe e divide seus amores em duas coisas. Não que seja poligâmico, mas Ruimar tem em sua barbearia – a New Star, localizada em frente a Praça Tamandaré – e na esposa Janete apreços inestimáveis.

Tal qual o gaúcho Lupicínio que apesar de ter feito sucesso em todo o Brasil mas nunca saiu do Rio Grande do Sul, Ruimar Ferreira jamais saiu de Goiás para fazer sucesso fazendo o que é apaixonado. Ao contrário, políticos e celebridades de fora do Estado vão até ele para terem seus cabelos cortados. Entre seus clientes estão jogadores de futebol, jornalistas e atores. O narrador Galvão Bueno já conheceu o talento das mãos de Ruimar ao conduzir sua navalha. O ex-jogador e hoje comentarista Dejan Petkovic também. “Muito boa pessoa, nos tornamos grandes amigos, inclusive”, destaca. Isso sem falar no Maradona, tido pelos argentinos como “melhor jogador de todos os tempos”. A lista das personalidades é grande…

 (Mesmo com convites para sair de Goiânia, Ruimar sempre quis fazer na sua cidade natal o que mais gostava: cortar cabelos. Foto: Domingos Ketelbey)

Quando cheguei em sua barbearia, na manhã de um sábado para conhecer Ruimar, fui recebido com um sorriso enorme. Devidamente apresentados ele me fala sorrindo: “Engraxei os sapatos do Pedro Ludovico”. Um belo cartão de visitas para uma manhã com várias histórias a serem contadas. “Se você o conhecesse, jamais imaginaria que era o político que havia sido. Super educado, humilde e extremamente simples”, rememorava. “Eu tinha as chaves da casa dele, eles [toda a família] confiavam muito em mim”.

Continua após a publicidade

No canto esquerdo da barbearia há uma biblioteca. Arte e cultura alimentam aquele lugar. Títulos goianos de livros tem aos montes, como a biografia de Pedro Ludovico escrita por Hélio Rocha: “Tu és Pedro”. Sua obra preferida é “Maya” de Ursulino Leão, que faleceu em outubro do ano passado e tinha cadeira na Acadêmia Goiana de Letras. “Eu amo literatura e queria algo diferente. Todas as barbearias mantém revistas para os seus clientes e eu até tenho algumas aqui. Mas quis fazer algo diferente colocando uma biblioteca onde os clientes podem ler os livros esperando o corte e até levar para casa.”, menciona.

 (A Biblioteca da NewStar. "Maya", de Ursulino Leão é o livro preferido de Rui. Foto: Domingos Ketelbey)

Herança herdada: o pai ensinou o filho a amar

Ruimar é filho do também barbeiro Waldemar Ferreira. Pode-se dizer que nasceu com navalhas na mão. Estava no sangue e antes de aprender a ler e escrever já denotava ter talento para os cortes. Waldemar abriu a New Star e se estabeleceu lá. Ainda jovem, Ruimar começou a se arriscar nos cortes. Não parou mais. Junto com seu irmão e seu pai, conduziram o empreendimento. “Meu pai era uma pessoa extremamente alegre e sorridente. Desde muito cedo começamos a trabalhar na barbearia”.

Certo dia, Waldemar já cortava o cabelo de um jovem político que se tornou governador e hoje é prefeito de Goiânia. Iris Rezende Machado queria dar uma repaginada no cabelo e convocou os serviços de Waldemar que estava ausente em uma viagem. “Acabou que ele precisava de cortar o cabelo naquele dia e ele confiou em mim.”, conta Ruimar que foi em substituição ao pai e tomou o seu posto. “Desde então, Iris sempre cortou o cabelo comigo”, relembra.

 Herança paterna: Seu Waldermar, na memória de Rui, deixou o legado da NewStar (Foto: Domingos Ketelbey)

Ruimar sempre é chamado para cortar o cabelo do prefeito de Goiânia que o atende a domicílio. Ao prefeito, rasga elogios. Relembra das vezes em quê Iris foi um amigo. “É uma pessoa que tem muita história pra contar. Toda vez que eu o vejo tem uma diferente. Vive e respira política.”

Com o falecimento do pai, em 1990, Ruimar assumiu a barbearia. Apesar das tristezas do luto, a herança que Waldemar deixou a Ruimar rendem até hoje histórias e muito amor. “É uma paixão. Amo trabalhar aqui. É uma arte.”, neste momento ele é interrompido por um professor universitário que cortava o cabelo. “É verdade, o Rui ama o que faz. Além de ser um excelente profissional é uma pessoa de caráter incrível. Viramos até amigos.”, esbanja elogios ao nosso barbeiro.

Contei pelo menos cinco clientes atendidos em duas horas por Ruimar. Um deles falava sobre a Feira de Antiguidades que o barbeiro promove aos segundos domingos do mês, em frente a New Star. “Quando eu vim pra Goiânia, no meu apartamento não tinha nem cama, mas tinha vários quadros. Eu deixava de dormir bem pra comprar quadros e enfeitar a casa”, disse o cliente a Ruimar que falava para ele sobre suas paixões por arte, música e cultura.

 Rui guarda com carinho antiguidades usadas numa barbearia (Foto: Domingos Ketelbey)

“Nunca usei celular nem tenho conta em banco”

O barbeiro tem costumes peculiares. Nunca teve um número de celular, não tem conta em banco, tampouco usava talões de cheque e também não tem cartão de crédito. “Não sinto falta. Gosto da vida real”. Ruimar gosta do contato pessoal. Faz amizades com os clientes que passam por sua navalha. Acima de tudo, tem na tranquilidade uma premissa para viver.

Certo dia, tinha ido para o apartamento almoçar. No retorno para a barbearia, o elevador do seu prédio parou e não abriu mais. Sem celular, não tinha muito o que fazer. Para a maioria, o desespero viria em uma situação dessas. Elevador parado? Sem celular para falar com alguém fora dali? Ruimar conseguiu contato com um morador que percebeu o elevador parado e ofereceu ajuda. “Demoraram quatro horas para arrumar o elevador”. O que fez em todo esse tempo? “Deitei no chão e dormi”, comenta rindo. Teve de cancelar todos os clientes marcados. Fora a preocupação de Janete…

 (Celular? Nunca! Apenas o telefone fixo... Foto: Domingos Ketelbey)

Políticos e aspirantes a parlamentares

A navalha de Ruimar já tratou o cabelo de políticos tarimbados no cenário nacional. O ex-presidente da República José Sarney foi um dos políticos de expressão nacional que vez por outra cortava o cabelo com o goiano. Boa parte dos governadores de Goiás também contrataram os serviços de Ruimar – Irapuan Costa Jr, Mauro Borges, Marconi Perillo e também Ronaldo Caiado foram alguns dos nomes. O senador Jorge Kajuru é um dos seus atuais clientes.

 Entre os clientes de Ruimar, estão alguns políticos do Brasil (Foto: Domingos Ketelbey)

{nomultithumb}

Não só de políticos consolidados vive Ruimar. Certa vez um jornalista estava na barbearia. Entre um papo e outro, pediu a opinião de Ruimar sobre uma ideia que passava por sua cabeça. “Estou pensando em me candidatar nas próximas eleições para vereador. O que acha?” Ruimar o aconselhou: “Se todos os seus inimigos e desafetos votarem em você, capaz de ser eleito”. O jornalista continua exercendo suas funções como jornalista e pelo visto ouviu o barbeiro: não consolidou a candidatura.

Ruimar também dá pitacos sobre a nova política. “Oportunistas despreparados”, define com ares de frustração. “Na minha época, tínhamos Juscelino Kubitschek, Ulysses Guimarães, Paulo Brossard. Todos muito idealistas. Dava gosto assistir discursos deles. Hoje vemos muitos políticos sem nenhum idealismo se aproveitando da frustração das pessoas.” analisa.

 Há 44 anos, Rui corta cabelos na New Star, barbearia raiz que mantém o estilo (Foto: Domingos Ketelbey)

Diga ao povo que fico

O ator Milton Gonçalves em uma turnê de teatro estava em Goiânia. Ele interpretava um barbeiro e foi fazer uma espécie de “laboratório” na NewStar. Pegou conselhos e fez um estágio com Rui. Tornaram-se amigos e o ator propôs que a barbearia pudesse ir para outros lugares do país. Como Lupicínio Rodrigues, um dos compositores preferidos de Ruimar, que nunca morou em outro lugar, senão sua terra natal, Porto Alegre, Ruimar ficou nessa terra. “Nunca precisei de ir pra outro lugar para ser feliz”, salienta. Contente e realizado, Ruimar conduz a New Star há 44 anos.

Entre suas paixões está o futebol. Torcedor do Atlético Goianiense se tornou amigo do treinador de futebol, Geninho. O técnico que teve passagens de sucesso tanto no Dragão como no rival Goiás, viveu algum tempo em Goiânia e se tornou cliente de Rui. “É uma pessoa sensacional”. Foi Geninho que apresentou Petkovic ao barbeiro. O carinho que tem pelo Atlético Goianiense chegou a ser retribuído. Em 2016 quando o Dragão subiu com honras da Segunda para a Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro com direito ao título da competição, ele ganhou uma das medalhas do título.

 Rui exibe a medalha do título da Série B de 2016, do Atlético Goianiense. Presente do seu time de coração. A luva de boxe atrás é uma lembrança de Acelino Freitas, o Popó, tetracampeão mundial (Foto: Domingos Ketelbey)

Amante de uma boa cerveja na companhia de amigos, Ruimar é de uma personalidade rara: um “príncipe das navalhas” em Goiás e que daqui não sai. Segundo um colega de trabalho que o acompanha há 20 anos, Ruimar já cortou uma média de 106 mil cabelos em toda a sua trajetória. A New Star torna-se mais que uma barbearia, mas um centro cultural aonde as pessoas podem respirar cultura e arte. “Aqui é uma barbearia autêntica. Não dou as costas às origens”. Ruimar gosta do saudosismo das tradicionais barbearias mas nem por isso deixa de enxergar o futuro por vir. De preferência, com menos políticos oportunistas e muito mais cultura no mundo.

(Foto: Domingos Ketelbey) 

{nomultithumb}