24 de maio de 2024
Reverência • atualizado em 09/11/2022 às 09:09

Um ano da morte de Iris Rezende: nome do político permanece na história como a saudade de um memorável legado

Com 62 anos dedicados à vida pública, Iris ocupou, na política, os cargos de vereador, prefeito, deputado estadual, governador e senador da República
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Ícone da política goiana, Iris Rezende Machado deixava, há um ano, este plano de vida terrestre. Após três meses de luta no Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, onde se recuperava de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), o ex-prefeito de Goiânia e ex-governador de Goiás faleceu no dia 09 de novembro de 2021, aos 87 anos, deixando boas lembranças na memória da sociedade goiana.

Querido por autoridades, políticos e sobretudo pelo “povo”, Iris Rezende arrastou uma multidão ao seu cortejo e velório. Durante a passagem do corpo pelas ruas da capital goiana, era possível visualizar demonstrações de gratidão por pessoas que acompanharam, mesmo que de longe, sua trajetória. “Meu primeiro emprego foi ele que deu. Ele era demais, uma pessoa humilde, humana, carismática. Não existe outro político igual a ele”, disse Maria Aparecida, moradora do Setor Oeste, em lágrimas, enquanto avistava a viatura do Corpo de Bombeiros que seguia com o caixão do ex-prefeito, rumo ao Palácio das Esmeraldas.

(Foto: Secult/Reprodução)

O sentimento descrito foi compartilhado por Darci Lobato, outra moradora da região, também presente na avenida em que trafegava o veículo. “Ele deixou um legado muito grande, foi um grande político para Goiânia e para Goiás. Fez muito pelo estado, principalmente para os menos favorecidos. Admiro a humildade e a dedicação dele”, pontuou. “O sentimento que fica é de tristeza e gratidão. Eu acho que não teve um político em Goiás com o prestígio, a garra, a coragem e a determinação que ele teve, com construções de moradias e a criação dos mutirões”, salientou.

Por falar em mutirões, foi implantado, no mesmo mês da morte de Iris Rezende, um mutirão em sua homenagem. Por nome “Mutirão Iris Rezende”, o evento, criado pelo Governo de Goiás, carrega o modelo de atendimento dos históricos trabalhos coletivos gratuitos iniciados pelo político na década de 1960. “Essa é a marca do Iris: gostava de conviver com o povo, se sentia cada vez mais motivado com a presença das pessoas ao seu lado e, indiscutivelmente, foi uma grande escola”, afirmou o governador Ronaldo Caiado ao destacar, na abertura da primeira edição do evento, que o líder político promovia a “política do bem-estar”.

iris caiado
Iris Rezende e Ronaldo Caiado durante o 20º mutirão da Prefeitura de Goiânia (Foto: Jackson Rodrigues).

Presente na cerimônia, a filha de Iris, Ana Paula Rezende, destacou a importância da realização dos mutirões para o pai. “Esses mutirões eram o que davam vida para meu pai. Esse contato com as pessoas, o carinho de cada um era combustível para ele. Ele ajudava muitas pessoas, mas era ajudado também, cuidado por cada um e cada uma que faziam parte disso”, frisou. Além do mutirão promovido pelo governador Ronaldo Caiado, inspirado na iniciativa que se tornou a principal marca das administrações de Iris Rezende, outras várias propostas de homenagens ao ex-prefeito de Goiânia foram apresentadas, tais como a mudança de nomes de avenidas, rodovias, viadutos, parques, dentre outros patrimônios públicos.

Plenário Iris Rezende Machado (Foto: Carlos Costa)

Na manhã desta terça-feira (8), por exemplo, foi descerrada a faixa que nomeia o plenário da nova sede da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) com o nome do político. A denominação é, de acordo com a Casa de Leis, uma iniciativa da Mesa Diretora do Parlamento goiano, proposta por meio de projeto de resolução nº 1244/22, com o intuito de homenagear o político goiano, “dono de uma trajetória inspiradora e de 62 anos de vida pública”.

Iris é lembrado pelos parlamentares, de acordo com o portal institucional do Legislativo, por sua valorosa contribuição para o progresso de Goiás e, em especial, de Goiânia. “O exímio gestor público, o político hábil e conciliador, o pai de família exemplar, o cidadão correto e trabalhador. Todas essas qualidades fizeram de Iris a referência maior do patrimônio humano de Goiás. Um homem que, apesar de sua importância e dimensão, jamais deixou de ser humilde e atencioso, sempre solidário e com as mãos estendidas para quem precisava de ajuda”, memorou o deputado Lissauer Vieira (PSD), presidente Alego.

Lissauer Vieira, Dona Iris, Ana Paula Rezende, Ronaldo Caiado, Rogério Cruz e outras autoridades participaram da cerimônia de descerramento da faixa do plenário Iris Rezende Machado, na Alego (Foto: Carlos Costa).

A homenagem foi recebida com emoção pela filha do político, que demonstrou, à Casa de Leis, o sentimento de gratidão. “É com muita gratidão que recebo hoje essa homenagem, que tem um sentido muito especial, pois o meu pai ocupou a presidência desta Casa de Leis nos anos de 1964 e 1965”, lembrou. “Meu pai trabalhou com coragem, eficiência e responsabilidade. Dedicou seus 87 anos por amor à população, pensando na qualidade de vida dos goianos e fez inúmeras benfeitorias que estarão marcadas para sempre na história de Goiás”, salientou Ana Paula.

Análise

De acordo com o cientista político Cristian de Paula Junior, Iris deixou bons exemplos no meio político. Para o especialista, este perfil admirável está ligado à sua trajetória de vida. “Ele foi a maior e mais influente personalidade política recente no Estado, com projeção nacional. Um prefeito cassado pela ditadura militar, que depois voltou ao poder, de forma democratica”, lembrou, em entrevista ao Diário de Goiás. “Foi literalmente um homem que dedicou sua vida à carreira pública”, enfatizou.

(Foto: Reprodução)

Outro ponto destacado por Cristian é relacionado ao Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido pelo qual Iris se manteve filiado por mais de 50 anos. “Ele tinha uma característica muito forte do MDB, historicamente, com um perfil conciliador, mais voltado para o diálogo, que conseguia fazer articulações com diversos setores, grupos políticos e dentro da sociedade, e populista também. Sua imagem é vinculada aos mutirões, à construção dos parques e à estética da cidade. Era entendido como um cara que se preocupava em deixar a cidade limpa, dentre outros aspectos”, analisou.

Biografia

Nascido em 22 de dezembro de 1933, na cidade de Cristianópolis, Iris iniciou a carreira política na década de 1950, como líder estudantil, presidente do Grêmio Literário Castro Alves da Escola Técnica de Campinas e do Grêmio do Colégio Lyceu de Goiânia. De 1959 a 1962, cumpriu seu primeiro mandato público, como vereador da capital goiana. No último biênio exerceu, inclusive, o cargo de presidente da Câmara Municipal.

iris em entrevista
Iris Rezende em entrevista ao jornalista Altair Tavares, para o jornal Diário de Goiás e Rádio Bandeirantes (Foto: Jackson Rodrigues).

Em seguida, foi eleito deputado estadual da 5ª Legislatura do Parlamento goiano, em 1963, pelo então PSD, extinto posteriormente pela Ditadura Militar. Líder do Governo Mauro Borges, foi eleito nos dois últimos biênios de mandato como presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego). Na época, comandou, ainda, a eleição indireta do marechal Emílio Ribas Júnior ao governo de Goiás.

Em 1965, filiou-se ao MDB, partido pelo qual foi eleito, no mesmo ano, prefeito de Goiânia. Seu mandato, entretanto, foi cassado em outubro de 1969 pela Ditadura Militar, que também suspendeu seus direitos políticos por dez anos. Durante o período, trabalhou como advogado criminalista.

Iris Rezende em passeio no Parque Mutirama (Foto: Jackson Rodrigues)

Com o fim da ditadura, retornou à vida pública em 1982, quando foi eleito governador do Estado. Já em 1986, tornou-se ministro da Agricultura, nomeado pelo então presidente José Sarney. Quatro anos depois, foi eleito novamente governador por Goiás. O novo mandato foi cumprido de 1991 a 1994. Em seguida, se elegeu senador, tornando-se, também, presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJ) do Senado Federal. Em 1997, no entanto, licenciou-se do mandato para assumir o Ministério da Agricultura.

Já em 2005, foi eleito novamente prefeito de Goiânia, reeleito quatro anos depois, em 2008. Com o intervalo de uma gestão, Iris voltou à chefia do Executivo municipal em 2016. Ao fim do mandato, no ano de 2020, despediu-se também de sua carreira política, de forma oficial.

Confira, abaixo, algumas entrevistas concedidas por Iris Rezende ao Diário de Goiás em seus últimos anos de vida pública:


Leia mais sobre: / / / / / / / Política