14 de junho de 2024
Política

Tribuna do Planalto: Quem será o deputado federal de Paulo Garcia?

Prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT) deve ter candidato sem experiência politica para a disputa do mandato a deputado federal. Os nomes em questão são: Paulo de Tarso (atual presidente da Comurg), Adriana Accorsi (secretaria de Defesa Social) , Edward Madureira (atual reitor da UFG) e o vereador Tayrone di Martino. O prefeito ainda não definiu quem vai apoiar

Leia a matéria do Jornal Tribuna do Planalto, disponível na internet:

Quem será o federal de Paulo Garcia?

Quatro pré-candidatos são apontados como favoritos para ter o apoio do prefeito de Goiânia por uma cadeira na Câmara Federal em 2014

Murillo Soares – Estagiário do convênio Tribuna do Plantalto/UFG

Com as eleições de 2014 cada vez mais próximas, está aberta a temporada de ‘ca¬ça’ aos candidatos com potencial eleitoral. Reuniões que têm como pauta nomes e chapas já estão sendo feitas, cada vez com mais frequência. O prefeito de Goiânia, Paulo Garcia (PT), é uma das lideranças que procura um nome para apoiar à Câmara Federal. A definição deverá ficar apenas para o ano que vem, mas quatro nomes já são apontados como seus favoritos: a secretária de Defesa So¬cial da Pre¬fei¬tura de Goiânia, Adriana Accorsi; o reitor da Universi¬dade Federal de Goiás (UFG), Edward Madureira; o presidente da Comurg, Paulo de Tarso; e o vereador Tayrone di Martino.

Segundo informações nos bastidores petistas, o partido projeta que poderá eleger dois deputados federais em 2014. Um deles fatalmente será do deputado Rubens Otoni, que faz um trabalho amplo no Estado. Há petistas, inclusive, que acreditam que Otoni poderá ultrapassar a marca dos 200 mil votos nas próximas eleições. Em 2010, o deputado teve pouco menos de 180 mil votos.

A tendência Articulação, da qual faz parte o prefeito Paulo Garcia, acredita que possa ocupar a outra hipotética vaga petista. Dos quatro nomes, três deles disputam de igual para igual a indicação do grupo. O vereador Tayrone Di Martino, que já esteve bem próximo do apoio no início do ano, corre por fora. Isso porque, no decorrer de 2013, o pe¬tista tem se afastado de Paulo Garcia, inclusive mostrando um comportamento rebelde na Câmara de Goiânia.

Favoritos

Secretária de Defesa Social da Prefeitura de Goiânia desde o começo do ano, Adriana Ac¬corsi, filha do ex-prefeito de Goiâ¬nia, Darci Accorsi (PT), é uma das opções de Paulo Garcia. Apesar de não ter experiência política, ela pode utilizar o legado do pai. Além disso, Adriana já ocupou outros cargos, inclusive no Estado onde foi delegada-geral da Polícia Civil.

Outra vantagem de Adriana seria o fato de ela dar novos ares ao PT, algo que pode ser vantajoso, expressando a vontade de atualização e renovação do partido. E o fato de Adriana ser delegada por muitos anos pode ajudá-la a conquistar o apoio de uma classe que, politicamente, geralmente segue fechada com um candidato parlamentar.

Edward Madureira, apesar de ainda ser o reitor da Uni¬ver¬sidade Federal de Goiás (UFG), além de professor, é um nome cotado para entrar na corrida de 2014 por um lugar na Câmara dos Deputados. O ministro da Educação. Aloizio Mercadante (PT), e o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), teriam incentivado Madureira a iniciar uma carreira política. Ele está a um passo de se filiar definitivamente ao PT e é um dos nomes cotados para receber o apoio de Paulo Garcia.

O reitor já entra na carreira política com planos audaciosos, mas pode encontrar facilidades por seu trabalho na UFG. Ele pode passar para o eleitor a ideia de inovação política e renovação de ideias. Assim, é esperado que Edward possa trazer muitos votos ao partido e alavancar a chapa que, provavelmente, terá o protagonismo de PT e PMDB.

Edward pode ganhar a preferência de Paulo por serem amigos próximos e por ter a possibilidade de alcançar muitos votos utilizando seu mérito como reitor da universidade. A inexperiência política poderia ser compensada com a experiência administrativa que ele teve na UFG. Apesar disso, ele é o candidato que tem mais arestas na Articulação como um todo, tendo em vista que a maioria do grupo prefere outros candidatos. Paulo, porém, pode bancá-lo dentro da vertente petista o que, fatalmente, seria decisivo. É a única alternativa vislumbrada hoje para Edward ganhar o apoio do grupo petista.

Já o presidente da Comurg, Paulo de Tarso, tem muita popularidade dentro da prefeitura. Apesar de ser um homem técnico e sem muita experiência eleitoral, ele pode conseguir bons votos ao partido dentro da máquina municipal, por ser presidente da Comurg. Tesou¬reiro na campanha de Paulo Garcia em 2012, Paulo de Tarso também tem proximidade com o prefeito e tem a vantagem de ser uma possibilidade eleitoral nova dentro do PT.

Rebeldia

Em 2012, o vereador petista Tayrone di Martino teve o apoio do prefeito Paulo Garcia em sua campanha à Câmara Municipal. Ele também contou com a grande força da Igreja Católica, já que um dos maiores líderes religiosos do Estado, o Padre Robson, é o seu principal aliado político. Seria natural que Paulo o apoiasse novamente. Entretanto, as recentes ações de Tayrone o vem rotulando como rebelde e trazendo desgastes para o parlamentar dentro do Paço Municipal.

Nos primeiros dias de junho, Tayrone foi contra a base do prefeito e votou a favor da implantação do ponto eletrônico. A partir daí, o vereador constantemente tem ido de encontro às ideias do prefeito. Sendo assim, o provável é que Paulo desista de apoiá-lo. Se Tayrone for candidato, terá que apostar todas as suas fichas no apoio de Padre Róbson. Não é pouca coisa, mas, sem o apoio de Paulo, deixa de penetrar em um importante nicho do eleitorado goianiense.

O vereador refuta a ideia de ‘rebelde’ e se defende afirmando que trabalha com independência e coerência naquilo que vota e, assim, tenta justificar os votos contrários à base do prefeito. “Eu fui eleito por ter posicionamentos coerentes e não troco isso por nada, nem por outra eleição”, diz.

Divisão

Dentro da prefeitura não há apenas espaço para um candidato petista à Câmara Federal. Como boa parte do Paço Municipal é comandado por peemedebistas, o partido também beberá da influência eleitoral municipal. Como nas eleições anteriores, a candidata que terá a primazia dos apoios do Paço será a deputada Iris de Araújo (PMDB), que tenta reeleição para seu terceiro mandato consecutivo na Câmara Federal. Isso porque boa parte dos secretários municipais do PMDB é indicação do ex-prefeito Iris Rezende (PMDB).

A candidata não deve ter problemas de aceitação dentro da prefeitura, tanto na parte do PT quanto na parte do PMDB. A parlamentar já é vista como uma figura tradicional na política goiana e tem seu próprio eleitorado, tanto dentro quanto fora da máquina da prefeitura. Dona Iris teria uma campanha relativamente tranquila, naquestão de apoio e votos da prefeitura.

Pré-candidatos despistam projeto eleitoral

Apesar das especulações políticas, muitos candidatos negam que já estejam planejando sua campanha para 2014. Segundo Karlos Cabral, candidaturas estão sendo trabalhadas em todas as regiões do Estado, buscando a construção e a atualização de no¬mes. “O partido está es¬ti¬mulando líderes por to¬dos os lugares”, comenta. No entanto, ele afirmou que ainda não há nenhum no¬me definitivo.

O vereador Tayrone di Martino, por exemplo, disse não está preocupado com essas questões por enquanto, focando no cargo que exerce atualmete. “Estou preocupado em fazer um bom mandato agora”, diz. Além disso, ele salienta que, independente da posição da máquina municipal, o resultado vem mesmo dos eleitores. “Para uma boa candidatura e uma boa campanha, precisa-se ter o apoio da população”, afirma.

Quem também nega estar planejando seus passos do ano que vem é o presidente da Comurg, Paulo de Tarso. “A princípio meu objetivo é dar conta de fazer o que estou destinado a fazer”, conta. Segundo ele, a questão de nomes para o ano que vem está nas mãos do partido e ainda não houve uma conversa oficial sobre isso. “As pessoas apenas falam e me perguntam sobre o assunto, porém nada ainda é definitivo”, salienta.

Embora seja um nome previsto para ter o apoio da prefeitura, ele não de¬fen¬de esta prática. “A prefeitura é uma coisa e partidos políticos são outra coi¬sa”, alega. Para ele, deve-se separar os dois ambientes para que haja uma campanha mais justa.

Mauro Rubem

É natural que alguns dos atuais deputados busquem uma reeleição, assim como alguns parlamentares estaduais almejem subir um pouco na hierarquia política. Este é o plano de Mauro Rubem (PT), outro nome que surgiu nas especulações políticas de candidatos para deputado federal no ano que vem. “É algo natural, depois de três mandatos estaduais, tentar pleitear uma vaga federal”, explica, afirmando que este é um plano pessoal, além de ser uma vontade do grupo de pessoas com quem trabalha.

Apesar de não aparecer entre os nomes mais citados para o apoio da prefeitura, Mauro, que faz parte da tendência mais radical do partido, a Esquerda Popular Socialista, espera o suporte. Ele coloca que a administração de Paulo Garcia é uma administração partilhada e segmentada, ou seja, há várias secretarias e partidos e que um desses segmentos deve apoiar ele ou outros candidatos. “Além disso, há sempre o voto do público, que se dá mostrando à sociedade um bom trabalho, fazendo uma política pública que busca defender os interesses do povo. E, então, serão lembrados nas urnas”, ressalta. (M.S.)

Os preferidos de Paulo Garcia

Paulo de Tarso
Cargo: Presidente da Comurg;
Pontos Fortes: Foi tesoureiro da campanha de Paulo Garcia em 2012, além de ser militante histórico do PT. É bem aceito dentro do grupo Articulação;
Pontos Fracos: É uma pessoa muito técnica e tem pouca experiência política, já que ocupa o seu primeiro cargo de expressão na administração pública.

Tayrone di Martino
Cargo: Vereador;
Pontos Fortes: Foi apoiado por Paulo Garcia em 2012 e tem forte base na Igreja Católica, o que pode dar fôlego à campanha, sobretudo na Região Metropolitana de Goiânia;
Pontos Fracos: Postura rebelde que desagrada a maioria do partido e vem se posicionando contra o prefeito diversas vezes em seu trabalho na Câmara Municipal de Goiânia.

Edward Madureira
Cargo: Reitor da UFG;
Pontos Fortes: Alcança um bom número de eleitores na comunidade universitária, teve ampla experiência administrativa como reitor, além de ser amigo pessoal de Paulo Garcia;
Pontos Fracos: Inexperiência política e não tem o apoio de boa parte da Articulação, tendência na qual faz parte o prefeito Paulo Garcia.

Adriana Accorsi
Cargo: Secretária de Defesa Social da Prefeitura de Goiânia
Pontos Fortes: É uma cara nova na política de Goiás, filha do ex-prefeito de Goiânia Darci Accorsi, e teve vários cargos no Estado, além de ser conhecida como uma profissional dedicada
Pontos Fracos: Inexperiência política, nunca disputou eleição e a falta de carisma.


Leia mais sobre: Política