25 de julho de 2024
Política

Tribuna do Planalto: Iso Moreira defende que Jose Eliton continue na vice de Marconi em 2014.

O reporter Eduardo Sartorato revela que o Deputado iso Moreira (PSDB) defende que o vice-Governador Jose Eliton Júnior(DEM) continue na chapa de marconi Perillo para 2014.

 

 

Representante do Nordeste goiano por quatro mandatos, o deputado Iso Moreira (PSDB) acredita que a região está no caminho certo. Segundo ele, o nordeste não merece mais o rótulo de região mais pobre do Estado. O tucano comemora os investimentos em infraestrutura realizados e planejados pelo governo do Estado na região, mas foca também que é necessário criar postos de trabalho para a mão de obra local. Iso Moreira também é otimista em relação ao processo de litígio entre Goiás e a Bahia, que poderá garantir terras produtivas para o Estado. “Goiás já perde R$ 100 mihões por ano, por causa que essas terras hoje estão na Bahia. Estão lá, mas são nossas”, frisa. O deputado também destaca a grande parceria que tem com o vice-governador José Eliton, o qual defende para que continue como vice na possível chapa de Marconi Perillo no ano que vem. Iso Moreira concedeu entrevista à Tribuna na quinta, 22.

 

Tribuna do Planalto – O senhor é o representante do nordeste de Goiás na Assembleia. Qual o panorama da região?
Iso Moreira – Eu tenho orgulho de ser da região nordeste, na qual eu nasci e tenho minhas raízes fincadas. Lá moram os meus familiares e também uma população humilde e carente, pessoas que querem trabalhar e progredir na vida. Hoje, o nordeste tem orgulho de ter o vice-governador José Eliton Júnior (DEM), que é amigo de Posse. É um rapaz preparado, um cidadão competente e que está fazendo um grande trabalho ao lado do governador Marconi Perillo (PSDB). Os dois têm ajudado muito a região. Eu trabalhava sozinho, mas hoje eu não estou mais sozinho. O vice-governador está ao meu lado, buscando fazer com que a região se desenvolva. Então, a região avançou bastante, embora ainda tenha alguns gargalos. Posso até elencar algumas conquistas da região, especialmente na área de reconstrução de rodovias, asfaltamento urbano e outros. Enfim, o governo tem atuado muito na região, não podemos reclamar. O Nordeste estava muito abandonado no mandato de Alcides Rodrigues. Todas as rodovias estavam praticamente intransitáveis, não só no Nordeste, mas no Estado todo.

E as obras na região, especialmente nas rodovias. Como está o andamento?
Do grupo I do programa Rodovida Reconstrução, ano passado, foram executados 2.081 quilômetros, e a região Nordeste foi contemplada com quase 200 quilômetros. A GO-112 de Simolândia a Iaciara, que são 50 quilômetros, está prontinha, além de outras rodovias. Nesse ano, o grupo 2, que deve ser reiniciado até abril, terá o trecho de 67 quilômetros da GO-118 de São João da Aliança até Alto Paraíso e mais outros trechos também, num total de 258 quilômetros.

E em relação a construção de novas rodovias, como a que liga, por exemplo, Iaciara a Nova Roma?
No Rodovida Construção, está sendo terminado o trecho entre Posse e Iaciara da GO-446, que tem mais de 20 anos com problema e está sendo refeita agora com previsão de término em agosto. Também neste prazo terminaremos a rodovia GO-112, que liga Iaciara a Nova Roma, que há muito tempo está parada. Também no Construção, que está sendo bancado com o dinheiro do BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social], a região Nordeste terá muitos trechos, dentre eles a GO-447, que vai ligar Divinópolis até chegar na GO-118, nos municípios de Monte Alegre e Montes Belos. É uma obra de R$ 58 milhões que já está sendo licitada e que deve ser iniciada em abril. É uma rodovia importantíssima, numa região de bois, de calcário e que vai ligar Goiás, Bahia e Tocantins. O BNDES vai ajudar na construção de mais duas rodovias importantes para a região, que é a GO-236 e a GO-110, a chamada Rodovia do Boi, em um trecho de 94 quilômetros. Ela está em fase de projeto, vai ser licitada e deve começar até o início do ano que vem. Então, se você analisar bem, o Nordeste de Goiás vai receber praticamente R$ 400 milhões de obras do governo, sem falar nas GOs que estão em manutenção. Atualmente, seis empresas estão na região fazendo toda a malha asfaltada e não asfaltada da região. Toda a região está recebendo benefícios da Agetop, por meio dos Rodovidas. A cidade de Mambaí está recebendo em asfalto urbano mais de 155 mil metros de asfalto.

Haverá também novos aeroportos para a região nordeste?
Em Alvorada, teremos aeroporto de R$ 3 milhões com recursos do BNDES. Em Posse, Alto Paraíso, Formosa e Campos Belos vai haver reforma de aeroporto também. Toda a região praticamente vai receber asfaltamento e aeroportos modernos. Quem não tem, vai melhorar, como Campos Belos, que tem um aeroporto novo que eu consegui e que vai receber terminal de passageiros. Só de aeroporto serão R$ 10 milhões, sem falar em Cheque Moradia, construção de casas populares, apoio à energia rural e ao homem do campo por meio da Celg. Os colégios da região receberam R$ 100 mil cada para reformas. No último dia 13, eu consegui que mais 31 instituições recebessem essa quantia, o que dará mais R$ 3,1 milhões investidos.

Por que o Nordeste goiano ficou nesse nível de defasagem em relação à outras regiões?
É uma região longe, muito distante, mas que avançou muito. Se você olhar 20 anos atrás, a região é outra hoje. O governador Marconi deu muito ao Nordeste, mas às vezes as pessoas não reconhecem, pois não se divulga. Não tem um veículo de comunicação, não tem um jornal, não chega notícia. Lá não tem Tribuna do Planalto, O Popular ou o Diário da Manhã. A população talvez nem tenha conhecimento do que está sendo feito. Em alvorada do Norte, tem 100% de esgoto, numa cidade de dez mil habitantes. É um trabalho grande que está sendo feito. Na segurança pública, a Polícia Militar está recebendo viatura, tem Patrulha Rural e outras coisas. Os policiais da região recebem gratificação que não recebiam antes. No Entorno, existia uma gratificação de R$ 286 que não existia no Nordeste. Eu briguei junto com o José Eliton, junto com o governador para aumentar a gratificação, que hoje é de R$ 552 para policiais civil e militar, além dos bombeiros. É um incentivo que eu lutei por anos e anos para equiparar ao do Entorno. Então, se concluírem todas as obras, será mais de R$ 500 milhões para o Nordeste do Marconi e do José Eliton. É muito dinheiro para uma região grande, mas pouco habitada.

Quais as principais demandas da região?
O que precisamos fazer é investir em infraestrutura, segurança, saneamento básico e melhorar a saúde e a educação para ter investimento de iniciativa privada, gerando emprego e renda. Todas as cidades da região tem obra do governo , que é trabalho nosso. O Vapt Vupt abriu em Posse, vai abrir em Campos Belos e em Alto Paraíso. Se você olhar bem, o Nordeste está avançando. Isso é o governador Marconi, o vice-governador José Eliton que estão focados em ajudar a região Nordeste. A imagem de uma região de miséria já era. Agora é uma região de fartura. É uma região da fartura, do progresso. O povo quer resgatar essa auto-estima da região nordeste. Mambaí é uma cidade hoje produtiva e tem a Bahia lá, pertinho.

Há uma disputa de terras entre Goiás e Bahia. O Estado vai ganhar novas terras com o acordo?
Existe um acordo que está para sair no STF, porque a briga já dura dez anos. O acordo é para que haja uma harmonia nessa demanda. Goiás vai ganhar terras. E produtivas. Vai ganhar Posse, Divinópolis, São Domingos, Guarani e Mambaí. Terras que contém soja, pecuária, café. E Goiás já perde R$ 100 mihões por ano, por causa que essas terras hoje são da Bahia. Estão lá, mas são nossas. Então, estamos 24 horas correndo atrás e lutando com determinação, parceria. O Marconi é muito municipalista, trabalhador e parceiro. O governador tem feito muito pela região. Conseguimos muitos incentivos fiscais, bolsas da OVG e programas sociais para a região. O Jayme Rincón da Agetop também é parceiro nosso, assim como outras pessoas do governo como o Giuseppe Vecci. Foram investidos R$ 500 mil, R$ 600 mil em obras nas cidades daquela região. Então, todo esse trabalho vai ter efeito. Temos vários projetos para obras na região.

O principal nome da base para reeleição é o governador Marconi Perillo?
Não tem outro nome. O governador Marconi é o governador, trabalhador, carismático, companheiro, preparado, estadista. Ele superou todos os problemas que ocorreram no passado. Superou o Estado quebrado e falido. Essa Operação Monte Carlo também, tudo foi superado. Conseguiu semear o Estado, colocou em dia, buscou dinheiro lá fora, recursos. Conseguiu captar recursos do BNDES e colocou Goiás para funcionar. O Estado hoje tem condições de buscar parcerias que antes não tinha. Goiás está arrumado e organizado.

E o vice-governador José Eliton? Qual o melhor caminho para ele em 2014?
É ser vice-governador de novo. Voltar a ser o vice. Ele é uma pessoa preparada e competente. É uma pessoa correta, parceiro do Marconi e de todo o Estado. Ele é uma pessoa que tem carisma, muito inteligência e uma visão ampla. O governador Marconi e o José Eliton são duas pessoas preparadíssimas. Mas, não estamos em campanha ainda. Campanha só em 2014. Estamos em 2013. Vamos trabalhar parcerias, buscar ajudar os municípios. Não é hora de falar de eleição agora. Agora é momento de trabalhar pelos goianos e fazer desse governo, o melhor. Esse governo do Marconi foi um governo show de bola e os goianos vão se orgulhar de olhar para trás e ter tido o Marconi como governador.

O vice-governador já deixou claro que deve mudar de partido. O PSDB estaria aberto para receber o José Eliton?
Seria ótimo se ele viesse para o PSDB, as portas estão escancaradas, mas ele deve ir para outro partido. O vice-governador José Eliton é um homem estadista, preparado. Nós queremos que ele seja vice do Marconi novamente, nessa chapa vitoriosa e coesa. É uma dupla dinâmica, que pode fazer um grande trabalho por mais quatro anos e, assim, fazer com que Goiás mude o país, sendo o que é hoje, com um PIB que cresce além da média nacional. Goiás é um Estado que tem emprego, que tem renda. O Estado que mais cresce do Brasil é Goiás. Então vamos juntos para fechar com chave de ouro, em 2014, o trabalho do Marconi, do José Eliton e de todo mundo que está junto.

Esse é um ano chave para o governador deslanchar em relação ao ano que vem?
Não tenho dúvida. É o ano em que o governador vai poder investir muito, em muita obra, desenvolver projetos. Eu tenho certeza absoluta que será um ano de realizações, onde o governo vai poder sair de cabeça erguida. Nós da base do Marconi sairemos de cabeça erguida, dizendo que valeu a pena apoiar o governador. O povo goiano vai ter prazer de ter um governador que tem visão, que é moderno e que vê um futuro promissor. Valeu a pena e vai ser bom, tenho certeza.

Como é o trabalho na região nordeste para que haja mais representação política da região? O sr. tem projeto para ser deputado federal?
Nós temos uma dádiva muito grande na região nordeste, que é o vice-governador José Eliton. Eu estou no meu quarto mandato, tenho trabalhado muito pela região, tenho trabalhado 24 horas e honrado meus compromissos. Hoje eu não tenho base só no nordeste. Tenho base em Morrinhos, Abadiânia, Pires do Rio e em vários lugares do Estado. Eu tenho honrado bastante onde eu represento. Tenho sido uma pessoa que leva obras e faz o possível para honrar os votos. Então, o nordeste goiano tem sido para nós uma região especial, porque lá a gente nasceu, vive e tem amigos. Um povo que quer progresso, quer trabalho. Uma gente sofrida, uma gente que sabe que nós estamos aqui para ajudá-los. Nós temos preocupação não com uma eleição futura, mas em honrar os votos e o apoio da população. O governador Marconi e o José Eliton são grandes parceiros, além dos senadores e deputados da base. É todo um conjunto de pessoas que querem fazer Goiás crescer. Meu foco é Goiás, e não só a região nordeste, mas meu futuro político só Deus sabe. Quero terminar meu mandato com chave de ouro, com muita dedicação, luta e vontade. Só Deus sabe do meu futuro.

Em relação ao deputado Pedro Chaves do PMDB, que também tem votos no nordeste, há um trabalho conjunto entre vocês?
Há sim. O Pedro Chaves é um grande deputado, meu amigo. Não vejo a diferença partidária como um impecílio. É uma pessoa humilde, um trabalhador e parlamentar respeitado. Temos atuado em alguns sentidos juntos pela região nordeste. A região deve muito a ele. Gosto muito dele. A diferença partidária não existe. O que existe é o cidadão, é trabalhar, mudar as coisas e somar forças. Tudo é bem vindo.


Leia mais sobre: Política