19 de julho de 2024
SUL-AMERICANA

Torcedora do Estudiantes relata “abuso” por parte de policiais em Goiânia; BEPE se posiciona

Publicação do Diário Olé
Publicação do Diário Olé

Uma torcedora do Estudiantes, que esteve em Goiânia acompanhando a classificação da equipe argentina diante do Goiás na Copa Sul-Americana, afirmou que sofreu “abuso” por parte de policiais. O relato feito por Mayra Villarreal foi destaque no Diário Olé – jornal argentino especializado no seguimento esportivo.

Ela disse na entrevista que a polícia brasileira é desastrosa e que se aproveitou dos torcedores e torcedoras. “Abuso total. Fizeram a gente apoiar mais de uma hora e meia contra o ônibus. Eles tocaram nossas almas. Eles nos levaram um a um para dentro, nos fizeram despir e mostrar que não tínhamos nada”.

Na sequência do relato, Mayra Villareal destacou outros maus-tratos: “Não é a primeira vez que acontece no Brasil, mas hoje realmente passamos muito mal. Gritaram nos nossos ouvidos, agarraram-nos pelo pescoço. Quando é que vai parar este abuso policial? É tudo ultrajante “, desabafou a torcedora na entrevista.

Resposta

O Diário de Goiás buscou informações do ocorrido com o BEPE – Batalhão Especializado de Policiamento em Eventos da PMGO – que através do Tenente Coronel Dario, enviou um posicionamento:

O Batalhão de Eventos segue um protocolo para auxiliar as torcidas envolvidas em qualquer evento futebolístico no estado de Goiás com escoltas, segurança e acompanhamento das torcidas antes, durante e depois da realização da partida, seja com as torcidas do nosso Estado, do Brasil ou de outro País, afim de minimizar e evitar a violência praticada principalmente pelas torcidas organizadas.

Fazemos o acompanhamento desde a entrada em nosso estado e consequentemente até o retorno em segurança destas torcidas até o termino e que consigam seguir em seu retorno em segurança.

Realizamos escolta com apoio de outras instituições e uso de veículos e aeronave se for preciso, abordagem a pessoas e veículos com a utilização policiais militares e cachorros de faro para detecção de entorpecentes, armas de fogo, armas brancas, fogos de artifício e outros materiais ilícitos e proibidos conforme regras da competição, e também a condução de forma organizada e ordeira até os locais onde os torcedores assistirão a partida com apoio da cavalaria e tropa do BEPE e do CHOQUE.

Neste evento em particular, foi localizado entorpecente nas vestes de 02 (duas) torcedoras onde a abordagem foi realizada por policiais femininas, e mais entorpecente dentro do ônibus onde estes torcedores estavam, sendo que mais 02 pessoas foram conduzidas para procedimento.

A abordagem foi acompanhada por integrantes da Conmebol e por integrante diplomata argentino e não tivemos nenhum incidente sequer em qualquer momento da partida.


Leia mais sobre: / / Esportes / Goiás Esporte Clube