19 de julho de 2024
Destaque 2 • atualizado em 24/02/2021 às 22:56

TJ abre processo de sindicância para apurar conduta de desembargadores em caso do Padre Robson

Sede do Tribunal de Justiça de Goiás (foto Wagner Soares)
Sede do Tribunal de Justiça de Goiás (foto Wagner Soares)

O Tribunal de Justiça do Estado de Goiás abriu nesta quarta-feira (2410) um processo de Sindicância para apurar a conduta de desembargadores em um processo envolvendo o Padre Robson. No documento, o presidente Carlos Alberto França salienta que dois magistrados que estão envolvidos no processo “apresentaram requerimento da instauração de sindicância para apurar os atos”, além de colocarem à disposição seus respectivos sigilos fiscais e bancários.

Os magistrados foram citados em reportagem exibida pelo Fantástico no último domingo (21) que divulgou novas mensagens de áudio.  Segundo os investigadores, Padre Robson e os seus advogados tinham uma porta aberta com alguns desembargadores do TJ-GO. 

Na matéria, o Fantástico menciona um processo que envolveu a compra de desembargadores responsáveis pelo julgamento em segunda instância num processo envolvendo a Afipe. Derrotados, na primeira etapa do julgamento, o religioso teria desembolsado até R$ 750 mil reais para obter a decisão em seu favor.

O presidente ainda determina que sejam tomadas providências no sentido de buscarem todos os “autos de apelação” envolvidas no julgamento de segunda instância. Além do mais, o Padre Robson deverá se manifestar “sobre os fatos narrados” no prazo de dez dias, além do advogado que na reportagem aparece como interlocutor do evangelizador com o Tribunal.


Leia mais sobre: / / / Cidades / Destaque 2