26 de maio de 2024
Esportes

Tite defende Neymar e diz que já chorou em jogo da seleção brasileira

Chegada de Neymar Jr. a Moscou (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)
Chegada de Neymar Jr. a Moscou (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Falando em terceira pessoa e sem ser perguntado, o técnico contou em entrevista coletiva nesta terça-feira (26) que chorou na sua estreia no comando da seleção, contra o Equador, em setembro de 2016, fazendo referência ao choro de Neymar após a vitória contra a Costa Rica nos acréscimos, na semana passada. 

O treinador, que confirmou a manutenção do time que enfrentou a Costa Rica para o confronto contra a Sérvia nesta quarta-feira (27), também defendeu que foi pênalti no atacante, anulado pelo VAR, e avisou que não é dele a responsabilidade de tudo que acontece.

“Quero colocar para toda a nação brasileira. Estou em um posto, não sou… No primeiro jogo contra o Equador, o Tite chorou. O Tite chorou. Quando liguei para minha esposa, chorei de alegria, de satisfação, porque é nossa característica emocional. Chorei de prazer, de orgulho, de um momento de tanta pressão fazer um grande jogo. Tenho muito cuidado em fazer associações, só estou mostrando o outro lado. Entende que razão e emoção têm que estar equilibradas, e que há o momento do gelo, da calma, da lucidez”, disse o técnico.

Logo depois, Tite foi perguntado por um jornalista russo sobre um comentário do ex-jogador e técnico Fabio Capello, atualmente comentarista de uma televisão. Segundo o repórter, o italiano teria dito que Neymar é um simulador. 

“Capelo, de técnico para técnico, foi pênalti”, disse o treinador, olhando para as câmeras.

Quando foi questionado sobre a forma física do camisa 10, mais uma vez fez elogios e até aproveitou para mandar recado. Não sem antes tentar se isentar de seus discursos em favor do atacante: “Não vim aqui para defender ninguém”.

“O Neymar só está nesse estágio de recuperação porque é bem dotado fisicamente, fora dos padrões normais. Caso contrário, não estaria. Se pegarem o mapa de calor contra a Suíça, é um. Contra a Costa Rica, tanto as jogadas de flanco, quanto por dentro, aumentou consideravelmente”. 

“Talvez mais um jogo ele esteja em sua plenitude. Não é dada a ele responsabilidade excessiva em cima de sucesso e insucesso. Cada um de nós tem sua responsabilidade, o conjunto resolve”, completou.

O Brasil enfrenta a Sérvia a partir das 15h (de Brasília) desta quarta em Moscou brigando para continuar na Copa do Mundo. (Folhapress)

{nomultithumb}

Leia mais:


Leia mais sobre: / Esportes