26 de maio de 2024
Retorno a TV • atualizado em 02/03/2022 às 20:10

Tiago Leifert: ‘Pode deixar o Tadeuzinho lá. Me contrata só para fazer discórdia’

Leifert falou ainda sobre a atual edição do programa e disse que Arthur Aguiar é o melhor jogador até o momento
Tiago Leifert enquanto apresentava o BBB (Foto: Reprodução/GloboPlay)
Tiago Leifert enquanto apresentava o BBB (Foto: Reprodução/GloboPlay)

O jornalista Tiago Leifert participou na a terça-feira, dia 1º, do Programa de Todos os Programas, no canal do YouTube da Record. Em entrevista aos apresentadores Flávio Ricco e Dani Bavoso, revelou o que gostaria de fazer se voltasse à televisão.

“Se eu pudesse escolher seria no Big Brother. Se não, eu voltaria para o esporte, que foi o lugar que comecei e me sentia confortável”, afirmou Leifert. “É o mais legal de fazer. Pode deixar o Tadeuzinho lá. Me contrata só para fazer discórdia”, completou, sobre o BBB.

O ex-apresentador do reality show também comentou a desistência de Tiago Abravanel: “A Manu [Gavassi] falou isso no BBB 20, quando voltou do primeiro paredão, ela falou do desespero de ser julgada. Ela sabe que o público critica mesmo, ‘mas quando você vai fazer um show é o seu público, as pessoas compraram ingresso para ver você’, ela falou. Mas você se colocar para fora, realmente para o artista é difícil”.

Leifert falou ainda sobre a atual edição do programa e disse que Arthur Aguiar é o melhor jogador até o momento. “Eu não sei se ele vai ganhar, mas ele está jogando muito bem […] Ele argumenta muito bem, é muito difícil conversar com o Arthur, ele é muito bom de lábia”.

Questionado sobre quem não ganha o reality, o apresentador disse que Vinicius e Jessilane precisam aparecer mais no jogo para terem alguma chance.

Tratamento de câncer da filha

Na entrevista, Tiago Leifert falou também sobre o tratamento de câncer de sua filha com a jornalista Daiana Garbin. Lua tem apenas 1 ano e 3 meses e foi diagnosticada com retinoblastoma, um câncer raro na retina.

“Uma doença em uma criança de um, dois ou um ano e meio é muito diferente [do que em um adulto]. A criança está com o metabolismo a mil por hora desde muito pequena. Os primeiros três anos são muito acelerados, é muito difícil saber o que vai acontecer”, declarou.

Apesar de ser um processo longo e complicado, o jornalista comentou que está feliz em poder ajudar outros pais a identificarem a doença nos filhos.

O casal publicou um vídeo no dia 29 de janeiro, contando sobre a doença de Lua e explicando a pausa na carreira de Leifert. No início de fevereiro, postaram outro vídeo e falaram sobre os relatos que haviam recebido – e continuam recebendo.

“Hoje chorei de emoção de manhã porque chegou um email para a Daiana de uma mãe que conseguiu identificar o retinoblastoma por nossa causa”, contou, ao Programa de Todos os Programas. (Por Sofia Hermoso, especial para o Estadão)


Leia mais sobre: / / / Entretenimento