logomarcadiariodegoias2017

_DSC7164.JPGO deputado federal Thiago Peixoto (PSD-GO) continua atento às questões relacionadas com Economia Digital. Após a regulamentação do uso de aplicativos de mobilidade como Uber, 99 e Cabify pelo Governo Federal logo após a aprovação pela Câmara dos Deputados, ele alerta que a mobilização de motoristas e usuários precisa continuar ativa. De acordo com o goiano, que é presidente da Frente Parlamentar de Economia Digital e Colaborativa e uma das principais referências do assunto no Congresso Nacional, é fundamental agora estar atento às movimentações nos municípios. 

Cada cidade, a partir de agora, por meio das prefeituras e câmaras municipais, terá que analisar como ficará a situação. Para Thiago, que trabalhou muito no Congresso para que a regulamentação aprovada não fosse proibitiva, é preciso muita atenção para que as leis municipais não atrapalhem o funcionamento dos aplicativos e nem o direito de escolha e a mobilidade da população. O parlamentar publicou um texto sobre o assunto.

Segundo Thiago, a regulamentação aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pela Presidência da República significa garantias à ocupação de 500 mil motoristas e a mobilidade de 20 milhões de brasileiros país afora. No entanto, alerta ele, para conseguir chegar ao ponto de não inviabilizar as atividades dos aplicativos, o caminho foi repleto de barreiras.

“Em outubro de 2015, apresentei proposta de regulamentação favorável à escolha do cidadão. Porém, um projeto proibitivo foi votado na Câmara e aprovado em 2017. Ele foi ao Senado e saiu de lá corrigido. Voltou para os deputados, que, no fim, reconheceram o que é melhor para o Brasil, respeitando o cidadão, a mobilidade e a inovação, e rejeitando o corporativismo”, explicou Thiago Peixoto.

O deputado federal goiano ressaltou que, na tramitação da proposta, foram superados aspectos negativos como autorização prévia para aplicativos, exigência de placas vermelhas nos carros, obrigatoriedade de que o motorista seja o proprietário e circulação de veículos apenas nas praças em que foram emplacados. A superação deste último ponto, na visão de Thiago, favorece a visão metropolitana de mobilidade, como em Goiânia.

Thiago Peixoto ressalta que o foco agora vai para os municípios. “Pois, conforme o texto aprovado no Congresso, são deles a responsabilidade por analisar os casos locais. Entretanto, neste processo local, precisam ser observados parâmetros como os descritos acima, além de respeito a regras constitucionais ligadas a serviços de natureza privada, como os prestados pelos aplicativos”, esclarece.

O parlamentar goiano lembra que deputados federais e senadores fizeram sua parte. No entanto, ele reforça que a questão não está resolvida de vez. “Na tramitação no Congresso, principalmente nas etapas finais, funcionou a pressão popular sobre os parlamentares. Portanto, é importante que a mobilização de usuários e motoristas se mantenha agora para acompanhar de perto as discussões entre vereadores e prefeitos e suas equipes”, acrescenta.

Na avaliação de Thiago Peixoto, com a sanção da lei federal, recente decreto restritivo criado pela prefeitura de Goiânia perde o sentido e que o correto seria retomar a discussão. “Tal decreto mostra postura ultrapassada da administração local contra mobilidade e inovação. O ideal é retomar do zero e fazer uma discussão democrática. E fica o alerta para que não se permita a aprovação de regras proibitivas. A vigilância precisa estar ativa para garantir que as regulamentações aprovadas atendam, no final, a quem de fato interessa: a sociedade”, completou.

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

Reportagem Especial

TVDG

Marconi Perillo presta esclarecimentos na CEI da Saúde na Câmara de Vereadores de Goiânia
Marconi Perillo presta esclarecimentos na CEI da Saúde na Câmara de Vereadores de Goiânia
Marconi Perillo presta esclarecimentos na CEI da Saúde na Câmara de Vereadores de Goiânia

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

SEARCH