12 de junho de 2024
Economia

Taxa de informalidade em Goiás atinge 35,9%; terceira maior redução do país

O índice de trabalho informal no Estado no primeiro trimestre de 2024 alcançou o menor nível da série histórica
Goiás atingiu o menor nível da série histórica. Foto: Reprodução
Goiás atingiu o menor nível da série histórica. Foto: Reprodução

A Pesquisa Nacional por Amostra de domicílios Contínua (PNAD Contínua) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que a taxa de informalidade em Goiás no primeiro trimestre de 2024 atingiu seu menor nível da série histórica. O índice atingiu 35,9%. Os dados foram validados e divulgados pelo Instituto Mauro Borges (IMB) na última sexta-feira (17).

Com este número, o Estado teve a terceira maior redução de informalidade do país (-1,3 p.p.), quando comparado com o trimestre anterior. De acordo com o IBGE, a taxa de informalidade é um indicador que abrange os empregados no setor privado sem carteira de trabalho assinada; empregados domésticos sem carteira de trabalho assinada; empregadores sem registro no CNPJ; trabalhadores por conta própria sem registro no CNPJ; e trabalhadores familiares auxiliares.

O governador Ronaldo Caiado (UB) destacou o papel do governo no incentivo à formalização dos negócios. “Temos realizado várias ações para incentivar a formalização de negócios, a abertura de empresas e a criação de novos postos de trabalho, e também oferecido cada vez mais oportunidades de capacitação para que o trabalhador possa ocupar essas vagas, por isso é gratificante ver o mercado respondendo positivamente”, ressaltou Caiado.

Além da redução na informalidade, Goiás conquistou aumento considerável na renda média, em comparação com a média brasileira. No primeiro trimestre deste ano, a renda média de todos os trabalhadores dos goianos (R$ 3.137) superou pelo quinto trimestre consecutivo a média brasileira (R$ 3.123). Em relação ao mesmo período do ano passado, representa crecimento de 4,1%.

O secretário-geral de Governo, Adriano da Rocha Lima, comemorou o aumento dos rendimentos. “Goiás está aliando a criação de novos postos de trabalho com o aumento dos rendimentos, e os dados da PNAD mostram que essa combinação de emprego e renda impacta diretamente no bem-estar da população e impulsiona a economia local”, reiterou o secretário.


Leia mais sobre: / / / Notícias do Estado

Luana Cardoso

Luana

Estagiou no Diário de Goiás de 2022 a 2024. Atualmente atua como repórter de cidades, política e cultura. Jornalista formada pela FIC/UFG, Bióloga graduada pelo ICB/UFG, escritora, cronista e curiosa.