17 de agosto de 2022
Ameaça • atualizado em 28/06/2022 às 10:39

Suspeito de matar policial aposentado ameaçou família antes do crime: “Mato todo mundo”

Felipe Gabriel já possui histórico de crimes contra à mulher e processos registrados em Aruanã e Goiânia
(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

O suspeito de matar um policial aposentado de 62 anos, na tarde desta segunda-feira (27), a tiros dentro de uma farmácia localizada no setor Bueno, em Goiânia, já havia feito ameaças à família da ex-namorada dias antes do crime. Em um vídeo, aos gritos, ele se diz estar ”ficando doido”, enquanto a ex-namorada chora pedindo para ele ficar calmo.

”Pode me denunciar, pode me matar que eu vou matar todo mundo antes disso. Eu mato todo mundo, não estou nem ai, não estou nem ai para a polícia, para minha profissão. Eu mato todo mundo e me suicido. Eu tô ficado doido”, diz o suspeito aos gritos.

Relato da ex-namorada é que sempre quando falava em término, ele a ameaçava junto com a família. ”Ele falava que se eu largasse, ele ia me matar e matar a minha família”.

Continua após a publicidade

O crime aconteceu na tarde desta segunda-feira (23). A vítima chegou a ser levada para o Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), mas não resistiu aos ferimentos. De acordo com informações de testemunhas, no momento dos disparos, ouviram uma mulher gritando. Logo em seguida, viaturas da Polícia Militar chegaram ao local, mas o suspeito já tinha fugido.

Na última semana, o suspeito foi nomeado para o cargo comissionado de gerente de sinalização de trânsito de Goiânia. Mas a Secretaria Municipal de Mobilidade (SMM), informou que isso não tem relação com o crime. Ainda em nota, a pasta lamentou o crime e informou que ele será exonerado.

Histórico

Continua após a publicidade

Felipe Gabriel já possui um histórico de crimes contra à mulher. Em novembro de 2020 ele foi réu em um processo por ameaça, que foi registrado na Comarca de Aruanã.

Logo mais, em janeiro de 2021, uma mulher de Goiânia conseguiu medidas protetivas contra Felipe Gabriel. Ainda em Goiânia, há o registro de um outro processo contra o suspeito como réu.