26 de junho de 2022
Economia

Subsecretário da Economia, Gilberto Pompilho, avalia cenário econômico brasileiro

PIB de Goiás está altamente correlacionado a taxa de crescimento brasileiro
Foto: Alego/ Valdir Araújo
Foto: Alego/ Valdir Araújo

O subsecretário de Planejamento e Orçamento da Secretaria da Economia, Gilberto Pompilho de Melo Filho, avaliou o cenário macro do Brasil a partir de 2021, que volta a se recuperar neste período mais favorável de pós-pandemia, durante apresentação do projeto sobre a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o exercício financeiro de 2023.

Gilberto mencionou a guerra na Ucrânia que, segundo ele, aumentou as pressões em relação aos preços das commodities, em especial alguns cereais básicos. “Tal choque pressionou os índices de inflação em diversos países. Esse repique inflacionário continuará ao longo do ano de 2022 até 2023”, adiantou.

O subsecretário também trouxe dados inflacionários de vários países divulgados pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). São números acumulados nos últimos 12 meses, que colocam a Rússia com o maior índice, 11,6%, seguida por Brasil, 11,3%, Chile, 8,3%, e os Estados Unidos com 8%.

Continua após a publicidade

Pompilho alega que o índice de inflação de Goiânia é muito semelhante ao nacional. Segundo ele, a taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de Goiás é altamente correlacionada com a taxa de crescimento do PIB brasileiro.

Durante a apresentão, o subsecretário citou a Constituição Estadual para explicar a legislação das Diretrizes Orçamentárias, que trata das metas e prioridades da administração pública estadual e estabelece as diretrizes da política fiscal e respectivas metas, aliada a trajetória sustentável da dívida pública. A elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA), disporá sobre as alterações na legislação tributária e estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.