21 de fevereiro de 2024
Saúde pública • atualizado em 17/12/2023 às 17:06

SMS afirma que anestesistas das unidades municipais não vão receber diretamente do município

Os profissionais passarão a receber dos prestadores pelos quais são contratados, da forma como ocorria há três anos
Questionada, a cooperativa informou que irá tratar o assunto internamente. (Foto: COOPANEST-GO).
Questionada, a cooperativa informou que irá tratar o assunto internamente. (Foto: COOPANEST-GO).

Após suspensão de atendimentos confirmada pela Cooperativa dos Médicos Anestesiologistas de Goiás (COOPANEST-GO), em Goiânia, na última sexta-feira (15), a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), informou em nota enviada ao Diário de Goiás, que a partir de agora, a categoria não receberá direto do município. Os profissionais passarão a receber dos prestadores pelos quais são contratados, da forma como ocorria há três anos.

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esclareceu que a mudança será realizada pois o contrato com os prestadores de serviço, a exemplo dos hospitais, já prevê todos os profissionais de saúde, inclusive os anestesistas. Questionada, a Coopanest informou que tomou conhecimento desse posicionamento via imprensa e que a Cooperativa irá tratar esse assunto internamente.

Vale lembrar que a cooperativa alega que a motivação para a suspensão dos atendimentos seria o atraso no pagamento da Prefeitura de Goiânia pelos serviços prestados. No total, a dívida é de quase vinte e seis milhões de reais. Além disso, a falta de contrato entre as partes também preocupa a Coopanest. 

Entenda o caso

Em recente entrevista ao Diário de Goiás, o presidente da COOPANEST-GO, Dr. Haroldo Maciel Carneiro afirmou: “Estamos sem contrato desde o final de janeiro, e sabendo do impacto que causaria para a população fazermos uma interrupção do nosso serviço, a gente continuou prestando serviço, mesmo sem contrato e mesmo com atraso de pagamento”.

Segundo o presidente, a dívida de anos anteriores chegou a ser negociada com o ex-secretário da saúde Durval Pedroso, mas as parcelas não foram pagas corretamente na gestão de Pedroso e foram ignoradas na gestão do atual secretário, Wilson Pollara.

Os médicos anestesiologistas da COOPANEST-GO realizam, em média, 6 mil atendimentos por mês nos mais diversos procedimentos médicos com sedação. Hoje são realizados  atendimentos para exames com necessidade de sedação, como por exemplo endoscopia e colonoscopia, assim como cirurgias eletivas e emergenciais.

Confira a nota da Secretária Municipal de Saúde na Íntegra:

“NOTA – SMS

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esclarece que o contrato com os prestadores de serviço, a exemplo dos hospitais, já preveem todos os profissionais de saúde, inclusive os anestesistas. Com isso, a partir de agora, a categoria não receberá direto do município, mas dos prestadores pelos quais são contratados, da forma que ocorria até há três anos.

Secretária Municipal de Saúde (SMS)”.


Leia mais sobre: / / / / / / Cidades

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019