20 de maio de 2024
PARALISAÇÃO • atualizado em 21/01/2024 às 08:36

Simego anuncia paralisação dos atendimentos de médicos vinculados à Fundahc

Paralisação foi decidida em Assembleia Geral Extraordinária Permanente, realizada na última terça-feira (16)
A deliberação, de acordo com a nota, foi tomada em Assembleia Geral Extraordinária Permanente. (Foto: Simego)
A deliberação, de acordo com a nota, foi tomada em Assembleia Geral Extraordinária Permanente. (Foto: Simego)

O Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás (Simego) divulgou uma nota nas redes sociais e no portal oficial, na quinta-feira (18), informando que haverá paralisação dos atendimentos realizados por médicos vinculados à Fundação de Apoio ao Hospital das Clínicas (Fundahc) que prestam serviços ao Hospital e Maternidade Municipal Célia Câmara, à Maternidade Nascer Cidadão e ao Hospital e Maternidade Dona Iris. Segundo o Simego, a paralisação será a partir das 07 horas desta terça-feira (23), durando 48 horas.

A deliberação, de acordo com a nota, foi tomada em Assembleia Geral Extraordinária Permanente, realizada na terça-feira passada (16). Conforme descrito pelo Simego na nota divulgada, “os gestores responsáveis pelas citadas Unidades de Saúde Pública (Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia e a Fundahc) não atenderam integralmente às pautas de reivindicações apresentadas pelos médicos.

Segundo a nota do Simego, assinada pela presidente da entidade, Franscine Leão, os atendimentos serão retomados após a contemplação integral das reivindicações dos médicos que atuam nas unidades de saúde.

Nota na íntegra

O Sindicato dos Médicos no Estado de Goiás – SIMEGO – no uso de suas atribuições legais e estatutárias, informa a toda a sociedade goiana que haverá paralisação dos atendimentos realizados pelos médicos vinculados à FUNDAHC que prestam serviços ao Hospital e Maternidade Municipal Célia Câmara, à Maternidade Nascer Cidadão e ao Hospital e Maternidade Dona Iris a partir das 07:00 (sete) horas do dia 23 de janeiro de 2024 (terça-feira), de 48 (quarenta e oito) horas, sendo esta deliberação tomada em Assembleia Geral Extraordinária Permanente realizada no dia 16 de janeiro do ano em curso, uma vez que os gestores responsáveis pelas citadas Unidades de Saúde Pública (Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia e Fundação de Apoio ao Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Goiás) não atenderam integralmente às pautas de reivindicações apresentadas pelos médicos.

Os atendimentos somente serão retomados após a contemplação integral das reivindicações dos médicos que atuam nas unidades, sendo que os atendimentos classificados como sendo de urgência e emergência serão mantidos, conforme a lei determina.

Assembleia Geral Extraordinária Permanente

Diante da paralisação, a presidente do Simego convocou os médicos vinculados À Fundahc que prestam serviços às unidades de saúde citadas para participarem da Assembleia Geral Extraordinária Permanente, que será realizada no dia 22 de janeiro de 2024. O objetivo do encontro é deliberar assuntos de interesse da categoria, como por exemplo análise do movimento.


Leia mais sobre: / / / / / Cidades

Maria Paula

Jornalista formada pela PUC-GO em 2022 e MBA em Marketing pela USP.