30 de maio de 2024
Negociação

Semad realiza processo licitatório para contratação de empresa de coleta de lixo na capital

O procedimento, feito por recomendação do MPGO, será realizado na próxima sexta-feira (5), às 9h na Sala de Licitações da Semad
A nova empresa contratada ficará responsável pela coleta de lixo, entre outros serviços de limpeza. Foto: Semad
A nova empresa contratada ficará responsável pela coleta de lixo, entre outros serviços de limpeza. Foto: Semad

A Secretaria Municipal de Administração (Semad) vai realizar, na próxima sexta-feira (5), o processo licitatório para a contratação de uma nova empresa responsável pela gestão dos resíduos sólidos da capital. O procedimento acontecerá presencialmente, às 9h, na sede da Semad, no Paço Municipal.

A medida atende a uma recomendação do Ministério Público do Estado de Goiás (MPGO), ao Marco Legal do Saneamento Básico. Desse modo, a empressa selecionada ficará responsável pela prestação de serviços de coletas de lixo, coleta seletiva e remoção de entulhos.

Além disso, haverá também novidades, como a adoção de 4 caminhões para varrição mecanizada das principais avenidas da capital, com previsão de alcance total de 22 mil quilômetros de vias por mês. Ademais, também fica a cargo da empresa ações operacionais do aterro sanitário de Goiânia.

A contratação

A princípio, o edital prevê a licitação em dois lotes, com vigência de 24 meses. Dessa forma, o primeiro trata da varrição mecanizada, que contará com 24 caminhões. Juntamento com a coleta convencional de resíduos sólidos urbanos, coleta seletiva de materiais recicláveis, de bens inservíveis e remoção de entulhos. O custo mensal desse lote é previsto em R$ 21,7 milhões ou R$ 520,9 milhões, ao final dos dois anos do contrato.

De acordo com a Semad, a estimativa é de que sejam recolhidos, mensalmente, cerca de 90 toneladas de lixo. Além de 20 mil toneladas de resíduos da construção civil e 2,3 mil toneladas de resíduos de poda. A previsão de custo desse lote é de cerca de R$ 4 milhões por mês ou de R$ 97,4 milhões nos dois anos. Ao todo, serão cerca de R$ 48 milhões por ano.

O contrato de concessão da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) foi feito em caráter emergencial em 2021 e 2022. Atualmente, foi feita a renovação até que se realize a licitação dos serviços, que já eram terceirizados.


Leia mais sobre: / / Cidades

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.