10 de agosto de 2022
Eleições 2022 • atualizado em 04/08/2022 às 17:06

Se Marconi escolher o Senado, candidatura será isolada, afirma aliado

Aliados no entanto, dizem que essa formatação não seria estratégica e que ele deverá rumar para a Câmara dos Deputados
Ex-governador Marconi Perillo articula candidatura (Foto: Divulgação)
Ex-governador Marconi Perillo articula candidatura (Foto: Divulgação)

Com a decisão para a última hora definida na convenção desta sexta-feira (05/08), Marconi Perillo deverá escolher entre o Senado e o cargo de deputado federal. De acordo com o ex-presidente da Assembleia Legislativa do Estado de Goiás e tucano histórico, Jardel Sebba, a tendência, caso Perillo escolha o senado, é de lançar uma candidatura isolada e caminhar sem o apoio de grandes frentes.

“Se ele for para o Senado ele vai avulso”, pontuou ao Diário de Goiás. Questionado se uma possível composição com o PT não poderia surgir com este cenário, Jardel disse que se Marconi Perillo tivesse que andar com a legenda de Lula seria em uma candidatura ao Palácio das Esmeraldas. “Se tivesse [o apoio do PT] ele ia para governador e não para o senado”, pontuou. O ex-deputado federal participou da reunião que o ex-governador teve com lideranças tucanas na manhã desta quinta-feira (04/08).

NÃO DEIXE DE LER: Futuro de Marconi Perillo não será o Palácio das Esmeraldas

Continua após a publicidade

Outras fontes consultadas pelo Diário de Goiás avaliam que não seria estratégico para Marconi lançar candidatura avulsa ao Senado e dizem que, neste cenário, o melhor seria uma campanha para a Câmara dos Deputados. “Essa é a tendência no momento. Diria que é quase certo a candidatura como deputado federal”, crava um aliado próximo ao ex-governador.

Sebba também destacou que se não houver candidatura ao Senado, o PSDB não indicará vice para nenhuma outra chapa majoritária em aberto. Há espaços no PT que deve confirmar o nome de Wolmir Amado na corrida ao Governo e também com o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia, Gustavo Mendanha (Patriota) e o candidato de Jair Bolsonaro, Major Vitor Hugo, do PL. 

NÃO DEIXE DE LER: PT e PSB à espera da decisão de Marconi Perillo para definir os rumos em Goiás

Continua após a publicidade

Sobre o PT, Sebba destacou que se uma aliança vingasse, esta seria para que Marconi Perillo encabeçasse a candidatura. No entanto, o ex-governador não quis avançar em conversas com outros candidatos e deixou liberado que os tucanos façam seus apoios livremente. “A maioria quer Vitor Hugo. Ninguém quer o [Gustavo] Mendanha”, revelou.

Questionado sobre o porquê da rejeição ao ex-prefeito de Aparecida, Sebba explicou que em sua opinião Mendanha não foi legal com Marconi Perillo. “Ele combinou uma coisa, fez outra. Meu voto ele não tem, nem no segundo turno”, pontuou. Em caso do governador Ronaldo Caiado enfrentar Mendanha em um segundo tempo das eleições? “Eu anularia meu voto”.

Candidatura de Marconi Perillo descartada na manhã desta quinta-feira (04)

O ex-governador Marconi Perillo (PSDB), que tinha sido escolhido pelos militantes do PSDB como o pré-candidato do partido ao Palácio das Esmeraldas, desistiu da disputa e, agora, avaliar concorrer a senador ou deputado federal.

“Essas decisões são complexas e demandam muita conversa. Tivemos uma rodada boa, mas vamos tomar essa decisão no curso do dia. De qualquer maneira, amanhã na convenção já estaremos decidido”, afirmou Marconi Perillo, em entrevista coletiva, na manhã desta quinta-feira (04/08).

A decisão ocorre após pressão da cúpula nacional do PSDB, que enxerga dificuldades para Marconi Perillo ser eleito governador pela quinta vez e prefere que ele ajude a reforçar a bancada da sigla no Congresso Nacional, em Brasília.