18 de julho de 2024
Composição • atualizado em 21/10/2022 às 16:38

Se chapa do PL for cassada, base de Ronaldo Caiado ganha mais dois deputados na Alego

União Brasil e PT devem conquistar uma cadeira cada, enquanto a terceira vaga pode ficar com MDB, Podemos ou PRTB
Ronaldo Caiado pode ter em sua base na Alego até 30 dos 41 deputados estaduais (Foto: Divulgação/Governo de Goiás)
Ronaldo Caiado pode ter em sua base na Alego até 30 dos 41 deputados estaduais (Foto: Divulgação/Governo de Goiás)

A eventual cassação da chapa do PL para deputado estadual por não ter atingido a cota de gênero pode fazer com que o governador Ronaldo Caiado (União Brasil) aumente a sua base de apoio na Assembleia Legislativa do Estado de Goiás (Alego).

Os três parlamentares eleitores pelo PL são Paulo Cezar Martins, Major Araújo e Delegado Eduardo Prado, todos de oposição. Se forem cassados, eles devem ser substituídos por dois nomes que fazem parte da base caiadista.

O Diário de Goiás consultou três fontes diferentes que fizeram cálculos sobre quem assumiria. Houve unanimidade em relação a União Brasil e PT. Há uma dúvida quanto à terceira vaga, que pode ficar com MDB, Podemos ou PRTB.

LEIA TAMBÉM: Outros dois partidos, além do PL, podem não ter cumprido cota de gênero, diz Fabrício Rosa

O cálculo oficial, caso a cassação se confirme, será feito pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO). A reportagem entrou em contato com o órgão para verificar se já haveria alguma posição sobre esse assunto, mas a pergunta não foi respondida.

O primeiro suplente do União Brasil, o mesmo partido de Caiado, é Rubens Marques. No caso do PT, trata-se de Fabrício Rosa, de oposição. Os três partidos cotados para a última cadeira são da base governista.

Se for o MDB, o primeiro suplente é Francisco Oliveira, enquanto os nomes de PRTB e Podemos são Eliel Junior e Felipe Cortês, respectivamente. O Diário de Goiás apurou que União Brasil, PT e MDB preparam uma ação em conjunto na Justiça Eleitoral para reivindicar as vagas.

Dessa forma, a base de Caiado na Alego, que, a partir de 2023, deve ter 28 dos 41 deputados estaduais, considerando os dois do Republicanos, pode chegar a 30. A oposição, consequentemente, passaria de 13 para 11 parlamentares.

LEIA TAMBÉM: Eleição para Assembleia Legislativa favorece Caiado que mantém maioria de deputados


Leia mais sobre: / / / / / Política