25 de junho de 2022
Cidades

“Se a situação fosse boa, eu não teria me candidatado”, diz prefeito de Goiânia sobre o município

(Foto/Divulgação)
(Foto/Divulgação)

O prefeito de Goiânia, Iris Rezende (MDB), afirmou na tarde desta segunda-feira (17) que se candidatou à Prefeitura sabendo da “situação difícil” do município. Em coletiva de imprensa, após a apresentação de um relatório apresentado pela Comissão Especial de Inquérito (CEI) de Obras Paradas da Câmara Municipal, Iris afirmou que está salvando a Prefeitura.

Continua após a publicidade

“Se [a situação] fosse boa, eu não tinha sido candidato. Eu me candidatei para salvar a Prefeitura. E estou fazendo”, disse ele, que justificou os números apresentados no relatório afirmando que encontrou a Prefeitura endividada.

Segundo o prefeito, existiria um déficit de R$ 31 bilhão mensais, deixado pelo governo de Paulo Garcia (PT). Iris disse que a CPI da Câmara deveria ter sido instaurada no primeiro dia de governo. Assim, teria sido feito um levantamento de todas as pendências deixadas pelo petista.

O relatório da CEI aponta 116 obras paradas, canceladas ou não iniciadas em Goiânia, com prejuízo estimado em R$ 906 milhões. O documento pede ainda o indiciamento, por improbidade administrativa, do prefeito Iris Rezende, e dos secretários municipais de Infraestrutura, Dolzonan Cunha Matos; de Educação, Marcelo Ferreira da Costa; e de Saúde, Fátima Mrué.

Continua após a publicidade

O relatório apresenta ainda que R$ 6 milhões foram devolvidos, com correção monetária, ao Governo Federal. O valor era destinado à construção de praças esportivas com ginásio nos bairros Buena Vista III e Jardim Cerrado III.