24 de fevereiro de 2024
Resultado anual • atualizado em 15/12/2023 às 19:13

Saúde estadual fecha balanço com anúncio de 2,1 milhões de consultas realizadas em 2023

Um outro ponto destacado por Caiado durante coletiva a foi a redução na fila de espera por cirurgias eletivas, aquelas consideradas não urgentes
Em pronunciamento, Caiado afirma que mesmo com os números positivos, a saúde é um desafio. (Foto: Hegon Corrêa/Secom).
Em pronunciamento, Caiado afirma que mesmo com os números positivos, a saúde é um desafio. (Foto: Hegon Corrêa/Secom).

A rede de saúde estadual goiana divulgou nesta sexta-feira (15) um balanço sobre os avanços da pasta em 2023. Segundo o governador de Goiás, Ronaldo Caiado (UB), o estado cumpriu todas as metas internas estabelecidas pela gestão. “Nossa estrutura está totalmente regionalizada e apta a fazer procedimentos complexos”, disse o governador em coletiva de imprensa.

Segundo números divulgados, a saúde estadual realizou 2,1 milhões de consultas em 2023. De janeiro a outubro deste ano, nos 29 hospitais do Governo de Goiás e rede conveniada foram feitas 190,8 mil internações e 80,3 mil cirurgias. Em 11 meses de 2023, foram 155 mil atendimentos com médicos especialistas, 167 mil com equipes multiprofissionais, além da entrega de 295 mil medicamentos.

Em pronunciamento, Caiado afirma que mesmo com os números positivos, a saúde é um desafio. “Por mais que se faça tudo, ainda há o que fazer. Todos os dias olhamos para cada região do estado, para fazer com que a saúde de qualidade chegue até sua população. Essa é a nossa meta: governar com o sentimento que a grande obra da nossa gestão é cuidar das pessoas”.

Redução das filas

Outro ponto destacado por Caiado durante coletiva foi a redução na fila de espera por cirurgias eletivas, aquelas consideradas não urgentes. “Isso significa que somos referência em organização de filas, pois o Ministério vai copiar o que o governador fez”, ressalta o titular da Saúde, Sérgio Vencio.

Com investimento de R$ 17,8 bilhões desde 2019, a queda foi 54%, sendo que dos 125,8 mil pacientes em espera, 80,3 mil foram atendidos, segundo dados do Sistema de Informações Hospitalares do Ministério da Saúde. O resultado é consequência da criação de um sistema próprio para unificar as filas de procedimentos cirúrgicos, o Regnet Filas, que foi escolhido pelo Ministério da Saúde (MS) como projeto piloto para o Brasil.

Outros marcos

Outros destaques são o avanço da vacinação entre crianças e adultos; a exigência de cartão de vacinação atualizado para matrícula escolar; e o recorde histórico em doação de órgãos, que registrou um aumento de 31% no número de doadores e acréscimo de 51% em transplantes realizados.

Já os investimentos estaduais na saúde foram mantidos acima do índice constitucional, cujo mínimo é de 12% do orçamento. “Esse ano estamos projetados para fechar em 13,8%. Investimos pesado dentro da saúde”, projeta Vencio. “Alcançamos R$ 425 milhões de economia em 2023, com descontingenciamento do Tesouro Estadual, melhor monitoramento dos nossos contratos de prestação de serviços e economia em licitações”, completa.

Expectativas para a saúde

Para 2024, o Governo de Goiás prepara a entrega do Hospital Estadual de Águas Lindas. A unidade que já possui 86% das obras concluídas, recebeu aporte estadual na ordem de cerca de R$ 90 milhões. O hospital vai se juntar aos Hospitais Estaduais de Formosa e Luziânia, para ampliar o atendimento no Entorno do DF.

O Complexo Oncológico de Referência de Goiás (CORA) possui 40% de execução e terá a primeira etapa concluída no segundo semestre de 2024 para atendimento infantil. E até 2026 a expectativa é de que a gestão construa três policlínicas, em Campos Belos, Mozarlândia e Mineiros. As unidades vão proporcionar consultas em mais de 20 especialidades.


Leia mais sobre: / / / Cidades

Elysia Cardoso

Jornalista formada pela Uni Araguaia em 2019