17 de agosto de 2022
Esportes

São Paulo apresenta Marcos Guilherme para suprir necessidades ofensivas de Ceni

Foto - Divulgação São Paulo Futebol Clube
Foto - Divulgação São Paulo Futebol Clube

Com a camisa 95, ano de seu nascimento, Marcos Guilherme foi apresentado, nesta segunda-feira, como o novo reforço para o time do São Paulo. O atacante retorna ao clube pelo qual atuou em 2017 e assinou contrato até o fim do ano, com opção de renovação até dezembro de 2023.

“Meu objetivo pessoal era de sair do Brasil, estava livre no mercado. Mas foi muito rápido, o São Paulo apareceu de um dia para o outro, e o coração falou mais forte. Me adaptei na questão financeira, abri mão de muita coisa para estar aqui”, disse o jogador, que vem suprir a necessidade do técnico Rogério Ceni, ao ser um ‘homem de velocidade pelos lados do campo’.

“É um prazer estar aqui, hoje é um dia muito especial para mim, com a presença da minha família. É até difícil falar, difícil expressar o que estou sentindo.Minha maior característica é ser um jogador de velocidade, vim disposto a ajudar, tive muitas conversas com o Rogério, sei o que ele espera. Estou disposto a fazer o que for para ajudar o São Paulo. Tenho treinado bastante para me readaptar, conhecer os companheiros. Estou preparado, se quiser contar comigo na quarta, estou pronto”, disse Marcos Guilherme, que atuou por empréstimo pelo Santos no primeiro semestre e estava no Internacional, próximo adversário do time do Morumbi, quarta-feira, em Porto Alegre, pela 18ª rodada do Brasileirão.

Continua após a publicidade

“Conheço bastante o Inter, o Beira-Rio. Sempre forte em casa. Não sei se vou ainda, estou à disposição, estou bem. Depende do comandante”, disse o jogador, que elogiou o desempenho da equipe no empate frente ao Fluminense, no Morumbi.

“Assisti ao jogo de ontem, foi um excelente jogo para quem gosta de futebol. Creio que poderia ajudar, estou aqui para isso. Se ele precisar contra o Inter, vou estar pronto. Estou muito disposto a dar meu melhor. Para mim, foi de extrema importância chegar antes, duas semanas de trabalho, conhecer meus novos companheiros para me explicarem o que querem. Para mim, foi importante, estou adaptado ao esquema. Só falta entrar em campo”, afirmou.

(Conteúdo Estadão)

Continua após a publicidade