20 de fevereiro de 2024
INCONFORMIDADES

Saneago detecta furtos e irregularidades que prejudicam sistemas de abastecimento de água

Segundo a Saneago, cidades com maior quantidade de irregularidades são Goiânia, Rio Verde e Águas Lindas de Goiás
Goiás é o Estado com menor índice de perdas de água na distribuição do Brasil. (Foto: Saneago)
Goiás é o Estado com menor índice de perdas de água na distribuição do Brasil. (Foto: Saneago)

A Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago) detectou inconformidades que causam perda de água e comprometem a qualidade dos serviços oferecidos para a população ao reduzir a eficiência dos sistemas de abastecimento. Por meio de nota publicada no portal oficial da Saneago, foi informado ainda que os problemas ocasionam sobrecarga e prejuízos financeiros para a Companhia.

Segundo a Saneago, Goiás é o Estado com menor índice de perdas de água na distribuição do Brasil e que a Companhia trabalha para continuar reduzindo estes números. Um dos serviços que buscam a redução é a identificação de irregularidades e consumos não autorizados.

Dentre as irregularidades encontradas estão ligação clandestina; intervenção no ramal ou padrão antes do hidrômetro, chamado de by-pass; violação e adulteração de hidrômetro; retirada de hidrômetro à revelia; inversão de hidrômetro; violação dos lacres do hidrômetro; fusão de ligação; intervenção no ramal predial ou padrão, para instalação dispositivos; e depredação das instalações públicas.

A Saneago ainda listou as cidades com maior quantidade de irregularidades detectadas, considerando o período de janeiro a agosto deste ano. Dentre as cidades estão:

  • Goiânia: 1.237
  • Rio Verde: 573
  • Águas Lindas de Goiás: 503
  • Aparecida de Goiânia: 482
  • Trindade: 451

Se analisados os furtos de hidrômetro, Goiânia se destaca com 2.669 registros no mesmo período. O número registrado é cerca de 5 vezes maior que no mesmo período do ano passado, que foi de 599.

Penalidades

As irregularidades são detectadas pela Saneago por meio de análise de consumo direcionado, investigação de contas retidas automaticamente para análise de consumo e execução de serviços in loco, além de denúncias recebidas.

“Se for detectada, há a coleta de evidências, cadastro no sistema, retirada da irregularidade e notificação do usuário. Logo após, a penalidade pecuniária é calculada automaticamente, de acordo com as regras aprovadas na Resolução Normativa número 162/2019, da Agência Goiana de Regulação (AGR). O documento estabelece como base de cálculo duas vezes a estimativa de consumo, somada ao valor fixo de R$ 89,43”, destaca a Saneago.

Além disso, caso a irregularidade tenha induzido ao erro de faturamento será realizada a revisão, com base nas diferenças entre os valores apurados e os efetivamente faturados. “Se na ação houve ainda a depredação do patrimônio público (rede, ramal, poço de visita), caberá ao usuário, além do pagamento da penalidade pecuniária, arcar com os custos de recuperação. Este valor é lançado na próxima referência, após o levantamento do montante despendido”, explica a Companhia.

De acordo com a Saneago, entre janeiro e agosto foram identificadas 6.595 irregularidades no sistema e que a identificação e correção das situações gerou a recuperação de cerca de R$ 6,2 milhões para a Companhia, sendo este o “valor destinado à manutenção, reforço e expansão dos sistemas de forma geral”.

Furto

Um outro fato que prejudica ao abastecimento de água é o furto de equipamentos. “As ocorrências de vandalismo em unidades da Saneago prejudicam a prestação dos serviços e causam não só danos patrimoniais e financeiros, mas, sobretudo, provocam a interrupção do fornecimento de água, afetando a rotina de milhares de usuários, dentre residências, comércios e indústrias”, explica a Companhia.

Segundo a Saneago, as regiões mais prejudicadas são a Região Metropolitana de Goiânia e as cidades do Entorno Sul do Distrito Federal.

“Para reduzir as ocorrências de furto e vandalismo, a Companhia busca alternativas, como: substituição de fios de cobre por alumínio; concretagem dos eletrodutos subterrâneos; reforço das portas com cadeados e trancas inteligentes; gradeamento das portas e janelas; reforço das estruturas metálicas e de alvenaria; soldagem dos quadros de comando; e intensificação da vigilância noturna. A expectativa, com isso, é reduzir tanto a necessidade de manutenções corretivas quanto a intermitência no abastecimento dos bairros atendidos pelos referidos sistemas”, afirmou.


Leia mais sobre: / / / / Cidades

Maria Paula

Jornalista formada pela PUC-GO em 2022 e MBA em Marketing pela USP.