28 de maio de 2024
Alego

Saiba como foi a audiência com a Equatorial Energia e as promessas feitas para a população goiana

O presidente da empresa prometeu a construção de novas subestações, ampliações e modernizações das existentes, expansão das linhas de transmissão e aumento das inspeções para reduzir defeitos
Audiência pública para apresentação do plano de ação da Equatorial. (Foto: Carlos Costa/Alego)
Audiência pública para apresentação do plano de ação da Equatorial. (Foto: Carlos Costa/Alego)

Depois que a Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego) marcou a segunda audiência pública com representantes da empresa Equatorial Energia, concessionária fornecedora de energia elétrica no Estado, o evento foi realizado nesta terça-feira (2). Solicitado pelo deputado Gugu Nader (MDB), o encontrou contou com o presidente da Equatorial, Lener Jayme, e diretores, a quem o parlamentar elogiou pela postura, mas que enfatizou a necessidade de reconhecer as melhorias do serviço.

“Nós, consumidores, estamos preocupados com resultados tangíveis. Temos contas a pagar, e quando não o fazemos, a Equatorial tem o direito de suspender o fornecimento. Da mesma forma, temos o direito de exigir melhorias no serviço”, destacou Nader, apontando problemas recorrentes, especialmente nas áreas rurais, como quedas de energia e demoras na sua resolução.

A deputada Bia de Lima (PT), por sua vez, compartilhou a abordagem equilibrada adotada pela Assembleia, buscando conciliar sensatez com firmeza em suas ações. “Como deputados, somos cobrados por resultados. Falando como consumidora, considero constrangedor os prejuízos causados pelas quedas de energia, especialmente para os pequenos produtores”, ressaltou.

A parlamentar enfatizou a necessidade de encontrar soluções efetivas para os problemas existentes. “Nosso papel é buscar respostas e informar quando os problemas serão resolvidos”, disse.

Lener Jayme, em seu discurso, abordou o progresso do estado em relação à média nacional nos últimos anos e destacou o compromisso da empresa em fornecer o suporte energético necessário para sustentar esse crescimento. Ele mencionou a construção rápida de subestações para atender às demandas industriais de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana.

Jayme ressaltou, ainda, os ajustes realizados nas operações da empresa, incluindo melhorias nas instalações e protocolos de segurança. Ele reconheceu a preocupação com a Região Sudoeste de Goiás e mencionou esforços para inaugurar uma subestação em Jataí, visando melhorar o fornecimento de energia na área.

Sobre os problemas e desafios da Equatorial enfrentados em 2023, Jayme apresentou um plano de ações para 2024, prometendo a construção de novas subestações, ampliações e modernizações das existentes, expansão das linhas de transmissão e aumento das inspeções para reduzir defeitos. Após as contribuições dos parlamentares e do público, a audiência foi encerrada pela Comissão.


Leia mais sobre: / / / Política

Carlos Nathan Sampaio

Jornalista formado pela Universidade Federal e Mato Grosso (UFMT) em 2013, especialista Estratégias de Mídias Digitais pelo Instituto de Pós-Graduação e Graduação de Goiânia - IPOG, pós-graduado em Comunicação Empresarial pelo Senac e especialista em SEO.