20 de maio de 2024
Política

Romário Policarpo nega dissolução de bloco que reúne Bruno e Jorcelino

O presidente da Câmara Municipal de Goiânia, Romário Policarpo (PRD) negou nesta terça-feira (23) que o bloco do qual faz parte com o presidente da Assembleia Legislativa, Bruno Peixoto (UB), e o marqueteiro Jorcelino Braga, caminha para a dissolução. “Ao contrário, o grupo continua coeso”, afirmou em entrevista.

Ele comentava reportagem publicada nesta terça pelo jornal O Popular apontando que o grupo “deve ser dissolvido face à falta de consenso”. O bloco ainda não decidiu quem apoiar como pré-candidato a prefeito de Goiânia nas eleições desse ano. “A gente respeita todas as matérias feitas, mas não existe essa divergência de ideias não”, disse Policarpo.

Policarpo nega dissolução de bloco

Segundo o vereador, o bloco continua dialogando, todos os dias.  “Inclusive falei com o deputado Bruno ontem, por algum tempo. Não existe isso. Somos amigos pessoais. Não há a mínima possibilidade de dissolução desse grupo que é político. Está junto há muitos anos e vai continuar caminhando junto, resolvendo divergências dentro do próprio grupo”, reforçou.

Por outro lado, ao citar os partidos que fazem parte do bloco atualmente, Policarpo excluiu o Avante. “Estão juntos o PSB, PRD, Agir, eu, Bruno e obviamente Juscelino Braga”.

Perguntado pelo Diário de Goiás sobre onde o grupo quer chegar, ele não falou dos nomes dos pré-candidatos que atualmente são os atraentes para apoio: Adriana Accorsi (PT), que desperta interesse do PSB; Vanderlan Cardoso (PSD) que atrai parte do PRD;  ou Sandro Mabel (UB), que está no foco do Agir.

Policarpo respondeu onde o bloco deseja chegar afirmando que a prioridade é “entender qual a melhor situação para a cidade de Goiânia, e quais os melhores candidatos que hoje se colocam. Existem bons candidatos colocados. Já disse que o fato de o Sandro ter colocado o nome dele na disputa é um fator de desequilíbrio na tomada de decisão do grupo, até pela proximidade que ele acaba tendo com os membros desse grupo”, afirmou.

Nome do vice

Ao prosseguir, ele declarou que o bloco almeja “é uma tomada de decisão conjunta para que as ideias que temos sobre a cidade de Goiânia sejam aprofundadas com esse candidato. Como o presidente da Assembleia já deixou claro, o grupo pretende bancar o pré-candidato a vice da chapa que for apoiar.

Sobre o nome dele aparecer em pesquisas para prefeito de Goiânia, ele considerou natural, mas destaca que nunca se colocou como tal. “Não é o melhor momento para essa discussão. Estamos discutindo outras coisas”, afirmou. O vereador vai disputar a reeleição.


Leia mais sobre: / / / Eleições 2024 / Política

Marília Assunção

Jornalista formada pela Universidade Federal de Goiás. Também formada em História pela Universidade Católica de Goiás e pós-graduada em Regulação Econômica de Mercados pela Universidade de Brasília. Repórter de diferentes áreas para os jornais O Popular e Estadão (correspondente). Prêmios de jornalismo: duas edições do Crea/GO, Embratel e Esso em categoria nacional.