26 de junho de 2022
Destaque

Risco de racionamento de energia em Goiânia é real, alerta presidente do Conselho do Meia-Ponte

(Foto: Rodrigo Estrella)
(Foto: Rodrigo Estrella)

Com intensa seca em Goiás e um longo período de estiagem, o risco de racionamento de água e energia em Goiânia é real, caso em setembro não haja novos períodos chuvosos, alerta o presidente do Conselho do Meia Ponte, Fábio Camargo ao Diário de Goiás, nesta terça-feira (31/08). “Esperamos que todos juntos consigamos economizar um pouco de água para não entrar no racionamento que pode acontecer nos próximos dias”.

A fala de Camargo acontece após uma reunião na Secretaria do Meio-Ambiente com representantes da secretaria, Saneago e representantes de entidades como a Federação da Indústria e Comércio (Fieg) e Federação da Agricultura e Agropecuária de Goiás (Faeg) onde se discutiu a situação do estado. “Vamos entrar num nível crítico importante e precisamos que todos entendam isso e comecem a economizar água”, destacou.

“A chance de racionamento é muito grande porque nós entramos e já baixamos 1000 litros por segundo dentro de dez dias, se abaixarmos mais 1000 litros, iremos racionar. O futuro é crítico. Esperamos que todos juntos consigamos economizar um pouco de água para não entrar no racionamento que pode acontecer nos próximos dias”, alerta. Fábio pontua que o momento hoje é parecido com o vivido dois anos atrás. 

Continua após a publicidade

A ‘sorte’ para que não houvesse já em 2019 um racionamento é que houveram pancadas salvadoras de chuvas. “Se não der uma chuva igual a 2019 como tínhamos o planejamento de acontecer um racionamento, só que choveu em meados de setembro. Se não acontecer essa chuva na mesma época, o racionamento sim, pode acontecer, por isso precisamos economizar a partir de agora”, destaca. “Todos os setores: tanto o setor produtivo quanto a população geral.”

Nível Crítico: entenda

O nível crítico hoje do Meia Ponte é 2 mas de acordo com Camargo, irá passar para 3, isso significa que a vazão de escoamento do Rio é de 4.000 l/s mas irá ser reduzido para 3.000 ls/ Se avançar para o nível 4, Fábio sacramenta: o racionamento deverá acontecer.

Continua após a publicidade

Com 78 dias sem precipitação de chuvas para alimentar o Rio, a previsão do tempo ainda não é das melhores. Em alguns pontos da Região Metropolitana de Goiânia, choveu nesta segunda-feira (30/08) mas nem chegou a ser suficiente para vislumbrar notícias boas. Hoje (31/08) a previsão do tempo permanece a mesma e se cair água do céu, também não será o esperado

Leia mais sobre:
Cidades Destaque