19 de junho de 2024
DIVERGÊNCIAS

Revoltado, vereador prepara pedido de impeachment do prefeito Rogério Cruz

Para o DG, sargento Novandir afirmou que ainda não há protocolo e que os documentos ainda não foram reunidos
Prefeito barrou a festa de aniversário de 71 anos do Jardim Guanabara. (Foto: Reprodução)
Prefeito barrou a festa de aniversário de 71 anos do Jardim Guanabara. (Foto: Reprodução)

O vereador sargento Novandir pretende propor um pedido de impeachment do prefeito de Goiânia Rogério Cruz. Segundo ele, há “milhares” de motivos para pedir o impeachment de Rogério Cruz, mas que não desejava expor antes que haja um protocolo. Para o Diário de Goiás (DG), o vereador afirma que ainda não conseguiu concluir a coleta de documentos, mas que já está alinhado com o também vereador Igor Franco.

“O Igor Franco que tem as informações mais privilegiadas. Infelizmente nós não conseguimos ainda protocolar, mas estamos em cima, trabalhando nele”, disse para o DG.

Já Igor Franco pontou algumas questões que poderiam embasar o impeachment do prefeito de Goiânia, como por exemplo o não cumprimento de critérios legais e constitucionais de aplicação do mínimo na educação e na saúde. “A Constituição diz que tem que ser aplicado isso mês a mês. Ele fez a adequação no ano passado, no final do ano, isso não é permitido constitucionalmente. Então isso, por si só, já seria motivo o suficiente para o pedido de impeachment”, afirmou também em entrevista ao DG.

Outro ponto antecipado com exclusividade foi sobre o empréstimo, que eleva o endividamento de Goiânia e a situação da cidade que, segundo Igor Franco, são razões que ensejam o impeachment. De acordo com o vereador, o pedido ainda não foi protocolado por carecer de apoio popular.

Sobre o apoio da Vanguarda, Franco analisa que com adesão popular, haverá apoio do bloco que é composto por ele, Lucas Kitão, Paulo Magalhães e Elton Lemos.

De onde surgiu?

Segundo o vereador, o prefeito barrou a festa de aniversário de 71 anos do Jardim Guanabara, que contaria com mais de mil colaboradores, sem utilização de verba pública e que atenderia aproximadamente 2 mil pessoas.

Introduzindo a conversa, Novandir intitulou Rogério Cruz como sendo o “pior prefeito da história de Goiânia” e o “pior prefeito do Brasil”. De acordo com ele, os “cidadãos goianienses de bem” estão revoltados com a atual gestão da capital.

Sargento Novandir diz que o prefeito embargou o evento, mas que o vereador foi chamado para comparecer ao Paço Municipal na última sexta-feira (8), data de comemoração do Dia Internacional das Mulheres. “Eu estava na avenida Goiânia fazendo uma homenagem às mulheres junto com a Polícia Militar e tocou o telefone ‘vem aqui, o prefeito vai te receber, quer falar com você’. Inclusive levei uma comitiva de oito mulheres comigo para conhecer o prefeito, nem com as mulheres ele tem respeito”, afirmou.

Segundo o sargento Novandir, ele ficou aguardando para conversar com o prefeito por aproximadamente 2 horas e meia. “Ele saiu pelo fundo e foi embora. Chegando ao Paço Municipal, antes de subir o elevador, eu encontrei um secretário e falei ‘como é que embarga o meu evento? É um evento social, como você teve coragem de fazer isso?’”, disse, afirmando que como resposta o secretário, não identificado, afirmou que foi determinação de Rogério Cruz.

Divergências

Ao ser questionado sobre outros eventos, sargento Novandir afirmou já ter feito aproximadamente 400 e que pediu licença para todos em cima da hora e que foram autorizados. De acordo com ele, existem documentos pedindo a liberação em todas as secretarias, mas cita que uma divergência entre os dois pode ter causado o embargo.

“Quinta-feira eu votei contra o empréstimo que destrói a cidade por 9 anos e na sexta ele embargou. Será que alguém tem 1% de dúvida? Embargou porque disse que não tinha pegado as licenças no período correto. […] O motivo é que eu votei contra o empréstimo, quem vota contra o prefeito ele persegue, ele não aceita a democracia”, relatou.

Além disso, uma outra divergência pontuada pelo sargento Novandir foi que recorreu no Tribunal de Justiça, perdendo, mas o processo tramita no Supremo Tribunal (STJ) e afirma que a chance de ganharem é muito grande.


Leia mais sobre: / / / / Cidades / Política

Maria Paula

Jornalista formada pela PUC-GO em 2022 e MBA em Marketing pela USP.