06 de dezembro de 2023
Cidades • atualizado em 14/02/2013 às 23:47

Reforma do aeroporto é questionada pelo MPF

Para evitar transtornos desnecessários à população, o Ministério Público Federal em Goiás (MPF/GO) busca esclarecimentos sobre a reforma da pista do Aeroporto Santa Genoveva, em Goiânia, bem como as providências tomadas pelas companhias aéreas que trafegam no terminal para esclarecer os passageiros sobre o cancelamento dos voos no período noturno, bem como sobre a sua devida remarcação, a fim de evitar transtornos aos passageiros.

A procuradora da República Mariane Guimarães requer que a Infraero, no prazo de 15 dias, informe o atual estágio de conclusão do projeto de readequação dos terminais de logística de cargas (Teca) do aeroporto e também se no projeto de reforma das pistas, prevista para começar em 1º de março, se incluíram medidas saneadoras das irregularidades constatadas pela Anvisa e pelo Corpo de Bombeiros. Além disso, pede informações à Infraero sobre as medidas eventualmente adotadas para que os consumidores sejam devidamente informados sobre a alteração de horários de vôos em razão da reforma.

Leia Também

Já as companhias aéreas GOL, TAM, Passaredo, Sete, Trip, Azul tem o prazo de 10 dias para encaminhar ao MPF/GO informações sobre as medidas concretamente tomadas para esclarecer os consumidores sobre os cancelamentos e eventuais alterações nos horários de vôos ofertados.

À Câmara Municipal de Goiânia, a procuradora da República Mariane Guimarães requer a documentação referente a uma audiência pública realizada no dia 14 de dezembro de 2012 sobre a paralisação noturna do aeroporto.

“Com essas informações, saberemos as ações e omissões dos órgãos responsáveis pela obra, bem como os devidos esclarecimentos prestados aos consumidores pelas companhias aéreas e, dessa forma, buscaremos atuar para assegurar o atendimento adequado à população durante esse período”, afirma a procuradora.

(com Imprensa MPF_GO)


Leia mais sobre: Cidades