20 de fevereiro de 2024
Equipe • atualizado em 29/12/2022 às 17:17

Quem são os ministros de Lula

Presidente eleito toma posse em 1º de janeiro de 2023 com um governo formado por 37 ministérios
Lula durante anúncio de parte de seus ministros (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Lula durante anúncio de parte de seus ministros (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

O presidente eleito, Lula (PT), tomará posse, no dia 1º de janeiro de 2023, com uma equipe de 37 ministros, dos quais 11 são mulheres. Veja abaixo todos os nomes confirmados:

(Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados)

Alexandre Padilha (Secretaria de Relações Institucionais) – Deputado federal por de São Paulo, foi secretário de Saúde da Prefeitura de São Paulo (2015-2016), ministro da Saúde (2011-2014) e ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais (2009-2010)

(Foto: Roque de Sá/Agência Senado)

Alexandre Silveira (Ministério de Minas e Energia) – Advogado e ex-delegado de polícia, foi deputado federal por Minas Gerais (2007-2015). Em 2014, foi eleito primeiro suplente do senador Antônio Anastasia, tendo assumido o cargo em fevereiro de 2022.

(Foto: Waldemir Barreto/Agência Senado)

Ana Moser (Ministério dos Esportes) – Ex-jogadora de vôlei, foi capitã da seleção brasileira, conquistou uma medalha de bronze nas Olimpíadas de Atlanta, em 1996, e uma de prata no Campeonato Mundial de 1994, além de ter sido tricampeã do Grand Prix.

(Foto: Divulgação/Câmara dos Deputados)

André de Paula (Ministério da Pesca) – Advogado, é deputado federal por Pernambuco desde 1999 e já foi deputado estadual do mesmo estado (1991-1998), além de secretário estadual de Trabalho e Ação Social e de Produção Rural e Reforma Agrária.

(Foto: Reprodução/Instagram)

Anielle Franco (Ministério da Igualdade Racial) – Formada em Inglês e Literaturas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e em Jornalismo pela Universidade Estadual da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, tem mestrado em Relações Étnico-Raciais pelo Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca (Cefet-RJ) e é diretora do Instituto Marielle Franco, que leva o nome de sua irmã.

(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Camilo Santana (Ministério da Educação) – Agrônomo de formação, foi governador do Ceará (2015-2022) e senador eleito pelo mesmo estado, onde também já exerceu o cargo de deputado estadual e titular das secretarias de Cidades e do Desenvolvimento Agrário.

(Foto: Roque de Sá/Agência Senado)

Carlos Fávaro (Ministério da Agricultura e Pecuária) – Produtor rural, foi vice-governador do Mato Grosso (2015-2018), tendo ocupado a secretaria estadual do Meio Ambiente (2016-2017). Não conseguiu se eleger senador nas eleições de 2018, mas, devido à cassação de Selma Arruda, assumiu o cargo em abril de 2020.

(Foto: Reprodução/PDT)

Carlos Lupi (Ministério da Previdência Social) – Formado em Administração, foi deputado federal pelo Rio de Janeiro (1991-1995) e ministro do Trabalho e Emprego (2007-2011). É presidente nacional do PDT.

(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Cida Gonçalves (Ministério da Mulher) – Publicitária, é consultora em políticas públicas sobre gênero e violência contra a mulher, tendo exercido cargos públicos dedicados a essa temática no Governo do Mato Grosso do Sul e em gestões passadas de Lula e Dilma como presidentes.

(Foto: Divulgação/União Brasil)

Daniel do Waguinho (Ministério do Turismo) – Deputada federal pelo Rio de Janeiro desde 2019, foi secretária de Assistência Social e Cidadania de Belford Roxo e é esposa do prefeito da cidade, Wagner dos Santos Carneiro, conhecido como Waguinho.

(Foto: Divulgação/Agência Senado)

Esther Dweck (Ministério da Gestão) – Economista, professora e escritora, foi secretária de Orçamento Federal (2015-2016) e chefe da Assessoria Econômica do Ministério do Planejamento (2011-2014).

haddad eleicoes
(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Fernando Haddad (Ministério da Fazenda) – Professor universitário, é mestre em Economia e doutor em Filosofia pela Universidade de São Paulo (USP). Foi ministro da Educação (2005-2012) e prefeito de São Paulo (2013-2017).

(Foto: Marcos Corrêa/PR)

Flávio Dino (Ministério da Justiça) – Juiz federal, foi deputado federal pelo Maranhão (2007-2011), governador do mesmo estado (2015-2022) e senador eleito, além de presidente da Embratur (2011-2014).

alckmin foto jose cruz agencia brasil.jpg
(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Geraldo Alckmin (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio) – Médico e vice-presidente eleito, foi vereador de Pindamonhangaba (1973-1977) e prefeito da mesma cidade (1977-1982), deputado estadual (1983-1987), deputado federal (1987-1985), vice-governador (1995-2001) e governador (2001-2006 e 2011-2018), sempre por São Paulo.

(Foto: Divulgação/Exército)

Gonçalves Dias (Gabinete de Segurança Institucional) – General do Exército, chefiou a Coordenadoria de Segurança Institucional do governo Dilma Rousseff e trabalhou na segurança pessoal de Lula ao longo dos dois primeiros mandatos do petista como presidente.

(Foto: Divulgação)

Jader Filho (Ministério das Cidades) – Presidente do diretório paraense do MDB, é empresário do setor de comunicação, irmão mais velho do governador do Pará, Helder Barbalho, e filho do senador Jader Barbalho.

(Foto: Divulgação/ABPC)

Jorge Messias (Advocacia-Geral da União) – Advogado, é procurador da Fazenda Nacional. Já foi subchefe de Assuntos Jurídicos da Casa Civil e tem passagens por cargos de outros ministérios, como o da Educação e o da Ciência, Tecnologia e Inovação, além de assessor parlamentar do senador Jacques Wagner.

(Foto: Divulgação/TCU)

José Múcio Monteiro (Ministério da Defesa) – Foi vice-prefeito (1975-1982) e prefeito (1982-1983) de Rio Formoso, titular das secretarias dos Transportes, Comunicação e Energia de Pernambuco (1983-1986) e do Planejamento de Recife (1997-1998), deputado federal por Pernambuco (1991-2007), ministro-chefe da Secretaria de Relações Institucionais (2007-2009) e ministro do Tribunal de Contas da União, o TCU (2009-2021).

(Foto: Will Shutter/Câmara dos Deputados)

Juscelino Filho (Ministério das Comunicações) – Médico e deputado federal pelo Maranhão desde 2015, é filho do ex-deputado estadual Juscelino Rezende e da prefeita de Santa Inês, Vianey Bringel.

(Foto: Reprodução/Flickr)

Luciana Santos (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações) – Atual presidente nacional do PCdoB e vice-governadora de Pernambuco, foi prefeita de Olinda (2001-2008), deputada estadual (1997-2000), deputada federal (2011-2018), secretária estadual de Ciência e Tecnologia (2009-2010), sempre por Pernambuco.

(Foto: Divulgação/Sindicato dos Metalúrgicos do ABC)

Luiz Marinho (Ministério do Trabalho) – Sindicalista e deputado federal eleito por São Paulo, foi prefeito de São Bernardo do Campo (2009-2017) e ministro da Previdência Social (2007-2008) e do Trabalho e Emprego (2005-2007).

(Foto: Divulgação/Governo de São Paulo)

Márcio França (Ministério dos Portos e Aeroportos) – Foi vereador (1989-1997) e prefeito (1997-2005) de São Vicente, deputado federal (2007-2015), secretário estadual de Esporte, Lazer e Turismo (2011-2015) e de Desenvolvimento (2015-2018), vice-governador (2015-2018) e governador (2018-2019), sempre por São Paulo.

(Foto: Reprodução/PT)

Márcio Macêdo (Secretaria-Geral da Presidência) – Biólogo de formação e deputado federal por Sergipe, foi superintendente do Ibama no mesmo estado, além de secretário estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos e secretário municipal de Participação Popular de Aracajú.

(Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Margareth Menezes (Ministério da Cultura) – Cantora e compositora dos gêneros axé, samba-reggae e afrobeat, já foi indicada ao GRAMMY Awards e ao Grammy Latino e venceu dois troféus Caymmi, outros dois troféus Imprensa e quatro troféus Dodô e Osmar.

marina silva 2016 foto Elza Fiuza ebc.jpg
(Foto: Elza Fiúza/EBC)

Marina Silva (Ministério do Meio Ambiente) – Professora e ambientalista, já ocupou o mesmo cargo entre 2003 e 2008. Candidatou-se à Presidência da República em 2010, 2014 e 2018, foi vereadora de Rio Branco (1989-1991), deputada estadual pelo Acre (1991-1995) e senadora (1995-2011).

(Foto: Divulgação/Itamaraty)

Mauro Vieira (Ministério das Relações Exteriores) – Diplomata de carreira, já ocupou o mesmo cargo entre 2015 e 2016. Foi representante permanente do Brasil na Organização das Nações Unidas (ONU) e, antes de ser nomeado para o Itamaraty mais uma vez, servia como embaixador na Croácia.

(Foto: Reprodução/Facebook)

Nísia Trindade (Ministério da Saúde) – Doutora em Sociologia pelo Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), é presidente da Fundação Oswaldo Cruz desde 2017, tendo se destacado por sua ações durante a pandemia de Covid-19.

(Foto: Reprodução/PT)

Paulo Pimenta (Secretaria de Comunicação) – Jornalista de formação, é deputado federal pelo Rio Grande do Sul desde 2003. Foi vereador em Santa Maria (1989-1996), vice-prefeito da mesma cidade (2001-2002) e deputado estadual (1999-2000).

(Foto: Elaine Menke/Câmara dos Deputados)

Paulo Teixeira (Ministério do Desenvolvimento Agrário) – Deputado federal por São Paulo desde 2007, foi deputado estadual (1995-2000) e vereador da capital paulista (2005-2007), além de Secretário Municipal de Habitação e Desenvolvimento Urbano (2001-2004) e diretor-presidente da Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo, a Cohab (2003-2004).

(Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Renan Filho (Ministério dos Transportes) – Foi prefeito de Murici (2005-2010), deputado federal por Alagoas (2011-2015), governador do mesmo estado (2015-2022) e se elegeu para o Senado nas eleições de 2022. É filho do senador Renan Calheiros.

(Foto: Raul Golinelli/Governo da Bahia)

Rui Costa (Casa Civil) – Economista, foi vereador de Salvador (2005-2007), secretário de Relações Institucionais (2007-2010) e da Casa Civil (2012-2014) da Bahia e deputado federal (2011-2014) pelo mesmo estado, do qual é governador desde 2015.

(Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Silvio Almeida (Ministério dos Direitos Humanos) – Advogado e professor universitário, tem doutorado em Filosofia e Teoria Geral do Direito pela Universidade de São Paulo (USP). É reconhecido como o responsável por popularizar o conceito racismo estrutural.

Simone Tebet
(Foto: José Cruz/Agência Brasil)

Simone Tebet (Ministério do Planejamento) – Advogada e professora, terminou as eleições presidenciais de 2022 em terceiro lugar. Foi prefeita de Três Lagoas (2005-2010), deputada estadual pelo Mato Grosso do Sul (2003-2005), vice-governadora do mesmo estado (2011-2014) e é senadora desde 2015.

(Foto: Reprodução/Redes Sociais)

Sônia Guajajara (Ministério dos Povos Indígenas) – Natural da Terra Indígena Arariboia, no Maranhão, foi candidata a vice-presidente de Guilherme Boulos em 2018 e se elegeu deputada federal por São Paulo em 2022.

(Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)

Vinicius Carvalho (Controladoria-Geral da União) – Advogado, foi presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e secretário de Direito Econômico do Ministério da Justiça.

(Foto: Divulgação/Governo do Amapá)

Waldez Góes (Ministério da Integração e Desenvolvimento Regional) – É técnico agrícola, com atuação nessa área no serviço público do Amapá, estado pelo qual foi deputado estadual (1991-1999) e governador (2003-2010 e 2015-2022).

(Foto: Reprodução/PT)

Wellington Dias (Ministério do Desenvolvimento Social) – Foi vereador de Teresina (1993-1995), deputado estadual (1995-1999), deputado federal (1999-2002), senador (2011-2015) e governador (2003-2010 e 2015-2022), sempre pelo Piauí.


Leia mais sobre: / Brasil