13 de julho de 2024
Destaque

Quem é Lázaro Barbosa e que se sabe até aqui

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Com oito dias de buscas pelo “serial killer” Lázaro Barbosa Sousa, de 32 anos, várias informações circulam pela internet. No entanto, pouco se sabe, de fato, a respeito do perfil do suspeito de matar uma família em Ceilândia, no Distrito Federal. Entretanto, em entrevista coletiva na noite desta terça-feira (15), o secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, afirmou existir um tipo de “ritual” por parte do maníaco.

“Depois que a gente estiver com ele na mão, a gente vai esclarecer tudo. Tem muita coisa que pode ser verdade, mas tem muita coisa fantasiosa e algumas pessoas, infelizmente, divulgam notícias falsas para aumentar a situação de insegurança”, afirmou o secretário. Escondido na região de Edilândia, em Goiás, Lázaro é “mateiro” e conhece bem a região onde se esconde e isso, de acordo com o secretário, facilita a fuga do criminoso. 

“Ele é nascido e criado aqui nessa região, é mateiro, sabe se movimentar como ninguém, nenhum outro profissional. É um psicopata, não tem menor valor à vida dele ou de ninguém. Isso dificulta em muito o nosso trabalho. Essa região é uma região que tem muita chácara, muitas casas abandonadas, anteriores até a esse evento. Chácaras de final de semana, de passeio, aqui também tem muitas grotas e também uma grande mata ciliar fechada. Então tudo isso desfavorece a quem está perseguindo e favorece quem é da região e acostumado a esse tipo de coisa”, ponderou Rodney Miranda.

Lázaro foi visto pela última vez na tarde desta terça-feira (15), quando fez mais uma família refém, trocou tiros com a polícia e baleou um policial. Com relação ao “ritual” praticado pelo criminoso, o secretário de Segurança Pública explica: “Ele leva para a beira do rio, ele manda tirara a roupa e alguns ele acaba matando. Então, eu acho que esse seria o destino dessa última família, principalmente porque ele percebeu que a menina pediu socorro”, declarou Rodney Miranda.

A força tarefa policial que monitora a região tem interagido com os moradores. Por esse motivo, foi possível o envio de uma mensagem por um dos integrantes da família, uma adolescente, que pediu socorro ou ouvir barulhos na propriedade. “Ninguém deixou ele escapar. houve um confronto. Ele teve a oportunidade de ver os policiais chegando e os policiais não verem ele. Esses policiais estavam visualizando a família e quando chegaram muito perto,ele atirou no rosto de um dos policiais, pulou o barranco, os policiais tentaram ir atrás e ele continuou atirando e os policiais também atirando”, elucidou o secretário.

A região está cercada por policiais, com objetivo de capturar o suspeito. “Cercamos toda a região, com policiais civis, com policiais militares, com policiais rodoviários federais. As rodovias de acesso, estamos também colocando policiais, alguns até à paisana, dentro das chácaras, das residências, onde têm moradores ou não, para garantir a segurança”, frisou Rodney Miranda. “Estamos entrando no oitavo e se precisar ficar 18, 28, 38, mas nós só vamos sair daqui com esse sujeito na mão”, reforçou o secretário.

Com relação às munições, o secretário de Segurança Pública afirma que o criminoso adquiriu em um dos crimes praticados nos últimos dias. “Ele conseguiu essas munições quando ele alvejou aquelas três pessoas numa chácara. Um deles era militar da aeronáutica, ele levou munições, cerca de 50 munições e tem usado isso”, ponderou.

Entenda o caso

Lázaro Barbosa Sousa é suspeito de cometer, de acordo com a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), um quádruplo latrocínio em Ceilândia no DF e um quinto em Goiás, considerado de alta periculosidade. 

Conforme informações divulgadas pela polícia, Lázaro invadiu chácaras e atirou em quatro pessoas, além dos policiais, durante os dias de fuga. Antes de se esconder na região de Edilândia (GO), furtou um veículo, no último dia 13, no qual abandonou na rodovia GO-070.

No último dia 9, em Ceilândia (DF), Lázaro teria invadido uma residência familiar e assassinado Cláudio Vidal, de 48 anos, Gustavo Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Vidal, de 15 anos. O corpo da mulher do empresário e mãe das demais vítimas, Cleonice Marques de Andrade, de 43 anos, foi encontrado no sábado (12), em uma mata próxima à casa da família.

O indivíduo é investigado ainda por balear outras três pessoas, na mesma data (12/06), em Cocalzinho de Goiás e possui um histórico de crimes registrados anteriormente, no Distrito Federal e interior da Bahia. Nas redes sociais circulam, ainda, áudios de pessoas que afirmam que o criminoso possui histórico familiar de rituais satânicos.

A SSP-GO afirmou que a força tarefa para captura do suspeito foi criada assim que a pasta tomou conhecimento da ocorrência na região do entorno do Distrito Federal. Durante a ação, um policial militar do Estado foi atingido com um tiro de raspão.


Leia mais sobre: / / / / / Cidades / Destaque