21 de julho de 2024
Cidades

Projeto busca construir 3,3 mil moradias em Aparecida

O secretário de Habitação e Regularização Fundiária de Aparecida, Ronnie Barbosa, apresentou hoje, 20, ao prefeito Maguito Vilela (PMDB) o projeto para construção de 3,3 mil casas populares no setor Jardim dos Ipês. A apresentação contou ainda com as nove entidades parceiras, que serão responsáveis pelas obras. O projeto será financiado pelo Fundo de Desenvolvimento Social (FDS) do programa Minha Casa Minha Vida/Entidades, do Governo Federal. “Não tem nada mais importante que termos a nossa casa. É a conquista de uma identidade, um endereço”, enfatizou o prefeito Maguito Vilela.

As unidades habitacionais populares terão 45 m² cada uma, com possibilidade de ampliação e seis modelos diferentes de fachada. De acordo com o engenheiro civil, Fabrício Gonçalves Cabral, responsável pela elaboração do projeto, o residencial contará com toda a estrutura necessária ao bem estar de uma família, como parques, áreas para a construção de unidade de saúde, Cmei, escolas municipal e estadual, uma unidade da Guarda Municipal, asfalto, água e esgoto, além de linhas do transporte coletivo.

“A água e o esgoto serão feitos em parceria com a Saneago, a partir do reservatório que atende o Madre Germana. Também será construírá uma ETE compactada no residencial, para atender de forma adequada toda a demanda, além da revitalização do córrego Saco Feio, com plantação de mata ciliar e limpeza”, pontuou o engenheiro, em nome das entidades que formam a cooperativa para a construção das unidades habitacionais: AGARC, AMANDARI, ASMOP, OMBRO AMIGO, ELIZENE SANTANA, MMP, EBENEZER, OBDC e VIVER BEM.

Após a apresentação, Fabrício Gonçalves Cabral entregou um ofício ao prefeito, para ser entregue no Ministério das Cidades, solicitando a aprovação e liberação de recursos para o início das obras. “A CEF já vistoriou o local das obras e emitirá o laudo aprovando o projeto ainda esta semana. Por isso precisamos que o prefeito converse com o Ministério para viabilizar o projeto e podermos iniciar logo a construção do residencial. A previsão de término é junho de 2015, se tudo correr dentro do esperado”, frisou o engenheiro.

Maguito Vilela destacou os pontos positivos do projeto e sua importância para Aparecida, que tem um déficit em moradias populares. O gestor afirmou que fará o possível, dentro da legalidade, para que o Ministério aprove o projeto e libere recursos. “Vamos trabalhar juntos para sua viabilização, pois Aparecida precisa de moradias populares. Toda a administração municipal está envolvida e vamos solicitar audiência no Ministério para apresentar a demanda”, explanou Maguito. O prefeito também garantiu a construção de unidade de saúde, educação e demais infraestrutura necessária para atender os moradore do residencial, a partir da aprovação do projeto.

O secretário de Habitação de Aparecida de Goiânia, Ronnie Barbosa, reiterou que as 3,3 mil moradias beneficiarão as famílias já cadastradas na secretaria e que o órgão já vem trabalhando junto ao Ministério para a aprovação do projeto. “Nossa previsão é construir 10 mil casas populares até 2016 e essas 3.300 unidades estão dentro desta previsão. Por isso estamos trabalhando em Brasilia e também junto à CEF para que o projeto do Jardim dos Ipês saia do papel o quanto antes”, afirmou o secretário. (com informações da Secom/Aparecida)


Leia mais sobre: Cidades

Altair Tavares

Editor e administrador do Diário de Goiás. Repórter e comentarista de política e vários outros assuntos. Pós-graduado em Administração Estratégica de Marketing e em Cinema. Professor da área de comunicação. Para contato: [email protected] .