27 de fevereiro de 2024
Economia

Produção de arroz em Goiás é impulsionada pelo aumento dos preços

Crescente aumento dos preços do arroz no mercado estimula a produção goiana, que deve crescer 8,1% na safra 2023/2024
Na atual safra a produção estadual deve atingir 88,2 mil toneladas. Foto: Reprodução
Na atual safra a produção estadual deve atingir 88,2 mil toneladas. Foto: Reprodução

O volume da produção de arroz na safra 2023/2024 em Goiás deve aumentar 8,1%. Conforme dados da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), divulgados na Revista Agro em Dados edição de dezembro, a alta dos preços do cereal no mercado vão estimular a produção estadual, que deve atingir 88,2 mil toneladas no ciclo atual.

De acordo com a Seapa, após o recuo na área cultivada verificado na temporada anterior, nesta safra, a cultura tenta recuperar espaço, encorajada pela atratividade dos preços, que seguem acima dos patamares de anos anteriores. Atualmente, Goiás está no 10º lugar no ranking nacional de maiores produtores de arroz.

Segundo as estimativas, a área cultivada de arroz deve chegar a 16 mil hectares nesta safra, o que corresponde a um aumento de 9,6% em relação a anterior. O impacto do fenômeno climático El Niño na produção deve ser percebido mais claramente na produtividade. A estimativa oficial é que o rendimento médio por hectare recue para 5,5 toneladas, queda de 1,4%.

Goiás está na 10ª posição na produção nacional de arroz. Fonte: Seapa

Ranking Nacional

No ranking nacional, Goiás tem posição distante dos líderes de produção do arroz, pois no Estado, o cultivo de soja e milho dominam o mercado goiano. Assim sendo, a estimativa para o valor bruto de produção do arroz para 2023 é de 12,4 bilhões no Rio Grande do Sul, maior produtor nacional; 2,0 bilhões em Santa Catarina, o segundo; 1,3 bilhões em Tocantins, o terceiro; 668 milhões no Mato Grosso, que assume a quarta posição; e 332,3 milhões no Maranhão, no quinto lugar. Goiás assume a 10ª posição, com 179,6 milhões.

Enquanto o valor de produção nacional está em 0,9%, o de Goiás permanece com 0,3%. No Estado de Goiás, os municípios Flores de Goiás, São Miguel do Araguaia, São João D’Aliança, Piracanjuba e Formosa são os cinco maiores produtores do cereal, de acordo com dados de 2022.


Leia mais sobre: Economia

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.