19 de julho de 2024
Economia • atualizado em 16/11/2023 às 18:23

Problemas climáticos aumentam o preço do arroz

A falta de água no Rio Grande do Sul interferiu na produção da safra 22/23, resultando em queda da produtividade a consequente aumento dos preços do cereal
Em Goiânia, o arroz acumula variação de preço superior a 20%, nos últimos cinco meses. Foto: Reprodução
Em Goiânia, o arroz acumula variação de preço superior a 20%, nos últimos cinco meses. Foto: Reprodução

A estiagem durante a safra 2022/2023 no Rio Grande do Sul, principal estado produtor de arroz no Brasil, impactou os preços do cereal no país. De julho a outubro deste ano, o acumulado da variação de preço do arroz foi superior a 20% em Goiânia. No Brasil, esse número atingiu variação acumulada de 13%, conforme dados do IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) Goiânia.

De acordo com o diretor e proprietário da Alimentos Liderança e membro do Sindicato de Indústria do Arroz no Estado de Goiás (Siago), Cássio Mendonça de Almeida, o aumento do preço do arroz é resultado da queda de produtividade. “A safra 22/23 no Rio Grande do Sul foi muito afetada pela falta de água. Então, a queda de produção e produtividade que nós tivemos no Rio Grande do Sul, que é responsável por 70% da produção de arroz brasileira, sentiu muito esse impacto, e nós estamos vendo essa variação de preço agora”, explica.

Mais aumentos

Conforme Cássio, a perspectiva é de que a alta dos custos seja repassada ao consumidor nos próximos meses. “Hoje, nós temos adquirido matéria-prima com preço maior do que estamos repassando. Para que as indústrias de arroz não fiquem sem estoque, elas estão abrindo mão das altas de preço e adquirindo esse produto mais caro”, destaca.

O membro da Siago acrescenta que ainda há espaço para aumento no preço do arroz de novembro adiante. “Estamos com uma procura alta por parte das indústrias no setor produtivo. A oferta e a procura fazem com que o preço suba”, reitera Cássio, prevendo aumento do cereal, que é um dos protagonistas na mesa do brasileiro.

Impactos para o consumidor

Segundo dados do IPCA Goiânia, na capital, a variação de preço do arroz, de julho a outubro deste ano, teve variação acumulada de 20,51%, superior a do Brasil, que foi de 13,58%. Em outubro de 2023, a variação mensal no preço do arroz foi de 6,1% em Goiânia, a maior desde julho.

Fonte: IPCA Goiânia

Na capital, em novembro, um pacote de 5kg de arroz Tipo 1 está sendo encontrado, em média, nas faixas de preço entre R$13 e R$ 33 nos mercados da região metropolitana. De acordo com a cotação do Cepea/Esalq Senar- RS, na última terça-feira (14), a saca de 50kg do arroz em casca estava custando R$ 113,83, com variação de 0,81%. No dia 14 de junho deste ano, o preço da saca era de R$ 81,67, com variação de 0,05%. Somente de junho para novembro o aumento foi de R$ 32,16.


Leia mais sobre: / Economia

Luana Cardoso

Luana

Atualmente atua como repórter de cidades, política e cultura. Editora da coluna Crônicas do Diário. Jornalista formada pela FIC/UFG, Bióloga graduada pelo ICB/UFG, escritora, cronista e curiosa. Estagiou no Diário de Goiás de 2022 a 2024.