18 de abril de 2024
FLAGRANTE

Prisão do presidente do PL, Valdemar Costa, é convertida em preventiva pelo STF

Defesa de Valdemar Costa apresentou um pedido de liberdade e o STF abriu o prazo de 24 horas para a PGR se manifestar sobre o assunto
No momento da operação da Polícia Federal não havia mandado de prisão contra o presidente do PL. (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
No momento da operação da Polícia Federal não havia mandado de prisão contra o presidente do PL. (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)

A prisão do presidente do Partido Liberal (PL), Valdemar Costa Neto, foi convertida em preventiva na tarde de sexta-feira (9), por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes. A defesa de Valdemar apresentou um pedido de liberdade do presidente da sigla e o STF abriu o prazo de 24 horas para a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestar sobre o assunto.

O presidente do PL foi alvo de um mandado de busca e apreensão em operação da Polícia Federal, em que os agentes encontraram um revólver com o registro vencido e uma pepita de ouro de 39 gramas sem origem declarada. Valdemar Costa foi preso em flagrante por posse ilegal de arma e usurpação de bens da União.

No momento em que a operação da Polícia Federal estava em andamento não havia mandado de prisão contra o presidente do PL, mas a prisão em flagrante aconteceu devido ao que foi encontrado. O revólver, além de estar com documentação vencida, estava em nome do filho do político, e a pepita de ouro passou por perícia preliminar, definindo que tem 92% de pureza.

Segundo o advogado do ex-presidente Jair Bolsonaro, Fabio Wajngarten, por meio das redes sociais, a não soltura de Valdemar Costa “só escancara ainda mais o momento que o Brasil vive”, prestando solidariedade à família do presidente do PL em seguida.

Investigações

A Polícia Federal informou que Valdemar Costa é investigado por participação de investida golpista para manter o ex-presidente Bolsonaro no poder nas eleições de 2022, além de ser apontado como um dos principais entusiastas de questionamentos feitos ao sistema eleitoral. O procurador-geral da República, Paulo Gonet, afirmou também que há indícios da participação do presidente do PL no “sistema delituoso”.

De acordo com o ministro do STF Alexandre de Moraes, Valdemar é visto pela Polícia Federal como o “principal fiador” dos questionamentos sobre as urnas eletrônicas, determinando que o presidente do PL mantenha contato com Bolsonaro, conforme informado pela colunista Bela Megale, do jornal O Globo.


Leia mais sobre: / / / / / Brasil

Maria Paula

Jornalista formada pela PUC-GO em 2022 e MBA em Marketing pela USP.