21 de julho de 2024
Cidades • atualizado em 04/09/2020 às 19:42

PGR desistiu de recorrer a decisão de Gilmar Mendes que revogou prisão de Baldy

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

O ex-ministro e secretário licenciado de Transportes de São Paulo Alexandre Baldy e demais alvos de operação da Lava Jato do Rio que investiga ilicitudes em contratos com a saúde deverão continuar soltos. Isto porque a Procuradoria-Geral da República (PGR) desistiu de recorrer contra a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, que revogou a prisão preventiva dos alvos.

A responsável pelo caso, subprocuradora-geral da República Lindôra Araújo, enviou ao Supremo, na segunda-feira (24), uma manifestação em que disse ter “ciência” da decisão de Gilmar, sem apresentar contestação da liberdade. O processo estava em análise na PGR desde o último dia 14 de agosto. Após essa avaliação, Lindôra decidiu não recorrer contra a soltura.

O posicionamento da PGR surpreendeu investigadores do caso. A expectativa era que Lindôra apresentasse um recurso para tentar reverter a decisão de Gilmar Mendes, como a Procuradoria havia feito no caso do senador tucano José Serra (SP).

Baldy não volta a trabalhar no Governo de São Paulo

Atualmente Baldy é secretário licenciado dos Transportes Metropolitanos no Governo João Dória. Porém, de acordo com a coluna do jornalista Lauro Jardim do “O Globo”, Baldy não deve continuar exercendo suas funções no governo Dória.

Ainda de acordo com a coluna, o anúncio oficial sobre seu destino está previsto para acontecer na próxima terça-feira, dia 8 de setembro. O prazo de afastamento do cargo à frente da pasta dos transporte expirou no último dia 30 de agosto.


Leia mais: “Serão batidos os martelos na próxima semana”, diz presidente do MDB


Leia mais sobre: / / Cidades