03 de março de 2024
Educação

Pressionado por educadores e estudantes, Lula decide suspender implantação do novo Ensino Médio

O novo Ensino Médio foi aprovado em 2017 e previa a divisão da grade horária dos estudantes em duas partes. Com a alteração, está suspensa também a mudança do Enem 2024
Foto: Ricardo Stuckert/PR
Foto: Ricardo Stuckert/PR

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) decidiu pela suspensão da implantação do novo Ensino Médio. O novo modelo com 60% da carga horária voltada para matérias regulares e 40% destinado a disciplinas optativas, que exigia mais horas anuais, não agradou educadores e estudantes, que criticaram as mudanças.

De acordo com informações da Folha de S.Paulo, a suspensão é resultado de uma tentativa do governo de evitar maior impactos à imagem de Lula entre os estudantes, base consolidada de apoio ao presidente. A alteração impacta também as mudanças para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2024, que não sofrerá mais as adequações previstas.

O novo Ensino Médio foi aprovado em 2017 e a implementação do modelo se tornou obrigatória a partir de 2022, trazendo uma série de problemas, desagradando gestores e profissionais da educação. A carga horária que antes era de 800 horas anuais, passou a ter em torno de 1000 horas.

A suspensão acontece durante o prazo previsto para consulta pública sobre o tema, que dura 90 dias, com mais 30 dias para que o Ministério da Educação (MEC) elabore um relatório. A revogação total depende da atuação do Congresso, conforme a lei, mas a suspensão dá tempo ao governo para reorganizar os planos.

Um grupo de trabalho que trata do assunto vai se reunir na tarde desta segunda-feira (3) para tratar da portaria. O texto que prevê a interrupção do prazo de implementação da nova política deve ser publicado nos próximos dias.


Leia mais sobre: / Política

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.