19 de julho de 2024
Destaque 2

Presidente da Comurg afirma que Prefeitura de Goiânia não pensa em privatizar serviços da companhia

Foto: Reprodução/Instagram Comurg
Foto: Reprodução/Instagram Comurg

O novo presidente da Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), Alex Gama, afirmou, nesta terça-feira (20), que não há nenhuma pauta com relação à privatização dos serviços prestados pela companhia, atualmente.

Questionado pelo jornalista Altair Tavares, no Jornal Bandeirantes, da Rádio Bandeirantes (820), a respeito de uma provável privatização dos serviços terceirizados, como a coleta de lixo, Gama destacou que o interesse público, assim como os menores custos, devem ser preservados.

“Não foi pautado nada disso com o prefeito. Nós não estamos tratando de privatização. Nós estamos tratando de conhecer a empresa e fazer as melhores proposições. O que a gente sabe em termos de gestão pública é que o interesse público precisa ser preservado ou então aquilo que for, digamos, de prestação de serviço ao município, que tenha o menor custo possível”, disse.

O novo presidente ressaltou que os servidores atuais deverão ser mantidos na companhia. “Nós não vamos, em momento algum, esquecer os 5.075 funcionários. Portanto, quero tranquilizar aos funcionários, servidores da Comurg, que não tem a pauta de privatização, pelo menos por enquanto, porque não justifica, por termos uma força de trabalho imensa. Eu conheci aqui uma equipe bastante dedicada na questão do serviço público. Eu tô chegando agora, há uma semana, mas nós temos pessoas trabalhando aqui, inclusive na nossa diretoria, que entrou na companhia em 1979, que foi quando a companhia começou a operar”, declarou. 

“No entanto, eu queria deixar claro ao Altair e seus ouvintes que, se houver serviços privados, e eles consigam fazer pra gente a um custo menor do que a gente hoje tem na empresa, nós iremos simplesmente contratar o serviço, porque do ponto de vista do erário público, ele é mais econômico e nós usaremos a força de trabalho que existe na casa, para alavancar outros projetos”, ponderou.


Leia mais sobre: / / / Cidades / Destaque 2