29 de maio de 2024
Alerta de Segurança

Presidente da Câmara reforça pedidos de segurança para a posse de Lula, daqui a 20 dias

Arthur Lira se manifestou nas redes sociais pedindo que o Governo do DF intensifique a segurança para a posse, após atos de vandalismo
O presidente da Câmara fez apelo por mais segurança no DF. Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados
O presidente da Câmara fez apelo por mais segurança no DF. Foto: Zeca Ribeiro/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), fez um apelo ao Governo do Distrito Federal, nas redes sociais. Lira pediu que os cuidados com segurança sejam redobrados durante a cerimônia da posse de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), no dia 1º de janeiro, daqui a exatos 20 dias.

Além da solicitação por ordem, segurança e paz, o presidente da Câmara ainda mencionou os atos antidemocráticos cometidos por vândalos bolsonaristas na última segunda-feira (12), horas após a diplomação do presidente eleito. Lira se referiu aos protestos como “desordem, violência e risco à integridade física ou de patrimônio público e privado”, dizendo que “repudia veementemente” esse tipo de manifestação.

O presidente lembrou que as manifestações populares fazem parte da democracia brasileira, mas o que observou ontem está longe disso. “As manifestações fazem parte da democracia. A capital federal recebeu cidadãos de todo o Brasil que, há mais de um mês, vem se expressando de maneira ordeira”, destacou.

Atos de vandalismo

A Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal classificou as manifestações antidemocráticas como atos de vandalismo. O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou que a ordem é para prender os vândalos que quebraram e incendiaram as dezenas de veículos pela cidade.

Grupos atearam fogo em ônibus e carros, houve a tentativa de invasão do prédio e a polícia precisou usar balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes. Os bolsonaristas chegaram a revidar atirando paus e pedras em direção aos agentes. Ao menos uma pessoa ficou ferida no confronto, que teve cinco ônibus incendiados e dezenas de carros depredados.


Leia mais sobre: / / / Política

Luana Cardoso

Luana

Estagiária de Jornalismo do convênio entre a UFG e o Diário de Goiás.