27 de maio de 2022
Política

Presidente da Alego critica “irresponsabilidade” do Congresso em retirar estados e municípios da Reforma da Previdência

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Para o presidente da Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), Lissauer Vieira (PSB), deputados federais e senadores agiram com irresponsabilidade ao retirar estados e municípios da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da Reforma da Previdência aprovada no Congresso Nacional.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes Goiânia, o parlamentar afirmou que os deputados estaduais se viram forçados a aprovar suas próprias reformas para evitar maiores prejuízos, mesmo que a matéria fosse de alçada federal.

“A PEC da Previdência é uma questão nacional. Foi aprovada no Governo Federal. Acho que deputados federais e senadores da República foram irresponsáveis ao não aprovar a PEC valendo para estados e municípios, até porque matéria previdenciária é federal. Deveríamos ter uma regra valendo para todos os estados e municípios. Não o fizeram e tivemos que assumir essa responsabilidade e fazer”, comentou.

Continua após a publicidade

De acordo com Lissauer, aprovar a reforma previdenciária no estado de Goiás era fundamental para melhorar a condição fiscal. O presidente da Assembleia cita os números do rombo para justificar a necessidade das alterações.

“Não tem como você sobreviver com prejuízo. A previdência em Goiás dá R$ 230 milhões por mês de déficit aos cofres públicos. É dinheiro que poderia ser investido em educação, saúde, reforma de rodovias e outras áreas. Essa reforma não acaba com o rombo da noite para o dia. Vai, ao longo dos anos, diminuindo o déficit, que poderia chegar a R$ 600 milhões por mês em 10 anos. Vai chegar menos. O déficit será reduzido, em 10 anos, em R$ 1,8 bilhão”, argumentou.