17 de junho de 2024
Cidades

Prefeitura lança campanha para orientar adoção responsável de animais domésticos

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e parceiros (Rede Vet, Anclivepa-GO e CRMV-GO) vão lançar neste domingo (7), no Parque Flamboyant, a partir das 8h, a campanha “Amigo Legal cuida bem do seu animal”.

O evento contará com mais de 20 colaboradores, dentre veterinários, agentes de saúde e educadores, que durante a “cãominhada”, orientarão os donos de animais, ou quem quer ter um bichinho, sobre as responsabilidades e obrigações que os proprietários possuem como, por exemplo, a limpeza de dejetos em local público.

Além das orientações sobre posse consciente, cães e gatos estarão disponíveis para serem adotados. Estes animais foram recolhidos das ruas pelo Departamento de Controle e Vigilância de animais, a pedido da população e não foram resgatados pelos donos. Todos foram tratados e esperam por um novo lar.

De acordo com a veterinária e chefe da Divisão de Controle de Raiva Animal, Sabrina Arruda, adotar um animal é simples, o principal é o cuidado e carinho. “Para adotar um animal basta ser maior de 18 anos, apresentar um documento de identificação e preencher o Termo de Responsabilidade pela adoção”. Explica. Não será cobrada nenhuma taxa.

Cães adultos estão castrados, vacinados (polivalente e Raiva) e vermifugados. Todos os animais doados terão direito a uma primeira consulta gratuita em clínicas veterinárias de Goiânia, válida por 30 dias após a data da adoção. Atualmente, cerca de 60 mil cachorros estão nas ruas da Capital, geralmente são animais abandonados ou crias de cães abandonados.

Vale lembrar que o Artigo 32 da Lei Federal 9.605/98 protege os animais, e considera crime praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, doméstico ou domesticados, nativos ou exóticos. Os atos de maus-tratos e crueldades mais comuns são abandono, manter animal preso por muito tempo sem comida e contato com seus donos/responsáveis, utilizar animais em shows, apresentações ou trabalho que possa lhe causar pânico e sofrimento e não procurar um veterinário quando o animal estiver doente.

As informações são da prefeitura de Goiânia.


Leia mais sobre: Cidades