17 de agosto de 2022
Arrecadação • atualizado em 27/06/2022 às 14:03

Prefeitura de Goiânia pode perder até R$ 172 mi por ano com limite para ICMS dos combustíveis

A estimativa é do secretario municipal de Finanças, Vinicius Henrique Pires Alves
Proposta que prevê a fixação de um teto de 17% para cobrança do ICMS dos combustíveis (Foto: Divulgação)
Proposta que prevê a fixação de um teto de 17% para cobrança do ICMS dos combustíveis (Foto: Divulgação)

A proposta que prevê a fixação de um teto de 17% para cobrança do ICMS dos combustíveis pode gerar uma perda de R$ 172 milhões em arrecadação para a Prefeitura de Goiânia.

A estimativa é do secretário municipal de Finanças, Vinicius Henrique Pires Alves. “Estamos muito preocupados. São alterações profundas na legislação, sem medir impactos e sem ouvir os municípios”, disse, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Na avaliação do secretário, é nos municípios, e não no governo federal, que a realidade da população é vista. Segundo ele, trata-se de uma “irresponsabilidade” a fixação do ICMS dos combustíveis.

Continua após a publicidade

Vinicius Henrique Pires Alves criticou o que também chamou de “medidas imediatas” em ano eleitoral em vez de um debate sobre alternativas “maduras” de longo prazo. “[Com isso,] falta recursos, falta investimento, manutenção saúde e assim sucessivamente.”