26 de maio de 2022
Anápolis

Prefeito descarta novas restrições em Anápolis

Prefeito Roberto Naves. (Foto: Divulgação)
Prefeito Roberto Naves. (Foto: Divulgação)

O prefeito Roberto Naves descartou nesta segunda-feira (17) impor novas restrições em Anápolis. Durante coletiva para apresentar um novo fluxo de atendimento na saúde, o gestor afirmou que não vai editar decretos que determinem fechamento de comércio ou medidas semelhantes.

“Não vamos trabalhar aumentando a restrição. Nós não vamos trabalhar fechado o comércio ou fazendo com que o pai de família deixe de trabalhar. Não é assim. Conseguimos enfrentar a pandemia no ano de 2021 e mesmo assim fomos a segunda cidade com maior geração de empregos (em Goiás, desconsiderando Goiânia). Nossa cidade é próspera e temos uma equipe para poder trabalhar, cuidar das pessoas e fazer com que a cidade continue crescendo”, disse.

A cidade, assim como outras do estado e do país, vive uma nova onda de casos de covid-19 pela variante ômicron. O número de internações, porém, não cresceu no mesmo patamar. Com a vacinação adiantada, o número de anapolinos hospitalizados segue abaixo de 20, apesar da explosão de infecções.

Continua após a publicidade

Por outro lado, a rede de saúde tem alta demanda de casos leves de síndrome gripal, incluindo pacientes com influenza e outros com quadro de dengue.

Mudanças na saúde

O prefeito anunciou a ampliação de unidades de saúde para atendimento exclusivo a pacientes com síndrome gripal e criação de 56 leitos de internação nas unidades do Parque Iracema e Leblon.

A partir desta terça-feira (18), pacientes com sintomas gripais devem procurar as seguintes unidades de saúde da rede municipal: Bairro de Lourdes, São José, Vila União, Parque Iracema, Arco-Íris, São Carlos e Vila Norte.

Continua após a publicidade

“É importante que as pessoas com sintomas gripais leves ou assintomáticos procurem essas unidades. Pela força do hábito, as pessoas vão direto para a UPA, que é uma unidade de pronto-atendimento que tem como característica atender pacientes com mais complexidade”, comentou Naves.