25 de maio de 2022
Economia

Poupança quase dobra captação nos últimos dias antes de mudança

Aplicações nas cadernetas somaram R$ 1,059 bi no dia 3; nos dois primeiros dias úteis de maio de 2011, investidores aplicaram R$ 931,594 milhões

 

No último dia das regras antigas da remuneração da poupança, investidores aplicaram R$ 1,059 bilhão nas cadernetas. De acordo com dados divulgados nesta quarta-feira (09), pelo Banco Central, os depósitos somaram R$ 5,398 bilhões em 3 de maio e os saques somaram R$ 4,339 bilhões na mesma data. Portanto, o dia 3 terminou com mais de R$ 1 bilhão em novos depósitos. Nos dois últimos dias das regras antigas – 2 e 3 de maio – a captação de recursos das cadernetas somou R$ 1,806 bilhão.

Continua após a publicidade

O ritmo da captação de recursos dos últimos dias da velha poupança foi praticamente o dobro do verificado um ano antes. Nos dois primeiros dias úteis de maio de 2011, investidores aplicaram R$ 931,594 milhões.

No último dia 4, sexta-feira, passou a valer nova regra para determinar os rendimentos da poupança, antes fixos em cerca de 6,17% ao ano; a aplicação passou a remunerar os novos depósitos (aqueles feitos a partir do dia 4) com 70% da taxa básica de juros (Selic) mais a Taxa de Referência (TR).

Segundo o Ministério da Fazenda, a mudança não faz diferença enquanto a Selic estiver acima de 8,5%, e a medida não é retroativa, ou seja, só vale para depósitos feitos a partir da última sexta-feira, 4.

Continua após a publicidade

O governo alega que vincular o rendimento da poupança à taxa Selic abre espaço para a queda dos juros, o que, com a inflação controlada, estimularia o consumo, aquecendo a economia. (Agência Estado)

Leia mais sobre:
Economia