23 de abril de 2024
Urnas eletrônicas

Posse de Moraes no TSE é marcada por defesa à democracia e ao sistema eleitoral: “orgulho nacional”

O evento que reuniu líderes e ex-presidentes foi marcada pela intransigente defesa das urnas eletrônicas
O ministro Alexandre de Moraes toma posse, na presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (Foto: Reprodução/TSE)
O ministro Alexandre de Moraes toma posse, na presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) (Foto: Reprodução/TSE)

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, defendeu nesta terça-feira (16/08) a democracia e o sistema eleitoral durante discurso de posse. No início da noite, Moraes assumiu a presidência do TSE, sucedendo o ministro Edson Fachin, para cumprir mandato de dois anos. O novo vice-presidente é o ministro Ricardo Lewandowski. 

Na platéia, um público com diferentes colorações ideológicas. Além do presidente da República, Jair Bolsonaro (PL) que acompanhou a cerimônia do palco, os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva (PT), principal concorrente do capitão da reserva na disputa do Planalto também estava presente, junto com a ex-presidente Dilma Rousseff, seu antecessor MIchel Temer e o primeiro mandatário da República na redemocratização, José Sarney.  

O novo presidente iniciou seu discurso afirmando que a Justiça Eleitoral atua com transparência e honra sua história vocação de concretizar a democracia.  “Somos a única democracia do mundo que apura e divulga os resultados eleitorais no mesmo dia, com agilidade, segurança, competência e transparência. Isso é motivo de orgulho nacional”, declarou. 

Sobre as urnas eletrônicas, o presidente disse que sempre haverá o aperfeiçoamento do sistema, fato que garante a divulgação do resultado no mesmo dia da votação.  “Os brasileiros e brasileiras teclaram com confiança o seu voto, aguardando a apuração, a proclamação do resultado no mesmo dia para segurança, tranquilidade e orgulho de nossas eleitores e eleitoras”, disse. 

O ministro também afirmou que o exercício da democracia garante a possibilidade periódica do eleitor escolher seus representantes.  “Respeito às instituições é o único caminho de crescimento e fortalecimento da República, e a força da democracia como único regime político, onde todo poder emana do povo e deve ser exercido pelo bem do povo”. 

No final do discurso, Moraes pediu respeito à democracia. “É tempo de união. É tempo de confiança no futuro e, principalmente, tempo de respeito, defesa, fortalecimento e consagração da democracia”, completou. 


Leia mais sobre: / / / Brasil / Destaque

Domingos Ketelbey

Jornalista e editor do Diário de Goiás. Escreve sobre tudo e também sobre mobilidade urbana, cultura e política. Apaixonado por jornalismo literário, cafés e conversas de botequim.