logomarcadiariodegoias2017

A Assembleia Legislativa empossará o advogado José Eliton de Figuerêdo Júnior no cargo de Governador do Estado de Goiás no sábado (7) em sessão extraordinária no Plenário Getulino Artiaga, às 10 horas. A posse do vice-governador se dará em razão da renúncia de Marconi Perillo, que se desincompatibiliza do comando do Poder Executivo para, conforme ele já disse à imprensa, disputar vaga ao Senado — também é cogitado uma disputa em nível nacional. O documento no qual Marconi formaliza sua renúncia foi lido em sessão extraordinária na noite dessa sexta-feira, 6, no Plenário Getulino Artiaga, em sessão extraordinária convocada pelo presidente da Casa, deputado José vitti (PSDB). 

A solenidade de compromisso e posse do novo Governador foi convocada extraordinariamente pelo presidente José Vitti, nos termos do art. 11, XVIII, da Constituição do Estado de Goiás, e do art. 143, I, do Regimento Interno da Assembleia Legislativa. Na sessão, o deputado Luis Cesar Bueno (PT) discursará em nome da oposição. Do lado da base de apoio ao Governo, a missão recaiu nas mãos do deputado Simeyzon Silveira (PSD).

A cerimônia de posse será transmitida ao vivo pela TV Assembleia, através do canal 8 da Net e do sinal aberto, na frequência 61,2. A solenidade segue os passos estipulados pelo Regimento Interno da Casa. A condução dos trabalhos será do presidente da Assembleia, deputado José Vitti, que no início dos trabalhos fará uma saudação às autoridades e convidados. 

O ritual começa com a leitura dos nomes dos componentes da mesa dos trabalhos. Em seguida, a Banda da Polícia Militar de Goiás executa o Hino Nacional. Para assumir o cargo, o novo chefe do Executivo estadual entrega a declaração de renda ao presidente da Assembleia, faz o juramento e assina o livro de posse. Em seguida, será realizada a nomeação do vice-governador. Encerrando a cerimônia ocorre o discurso do novo governante do Estado. 

O Regimento, em seus artigos 167 e 168, estipula ainda que o Governador tomará assento à direita do Presidente do Legislativo, ficando o vice-governador à esquerda da Mesa. O juramento será feito a convite do Presidente, primeiro pelo Governador e depois pelo vice-governador, que assumirão o seguinte compromisso: “Prometo manter, defender e cumprir a Constituição da República e a do Estado, observar as leis, promover o bem geral e sustentar a integridade do Estado de Goiás".

Com a posse de José Eliton, o presidente da Assembleia Legislativa, José Vitti, passa a ser o primeiro na lista de sucessão no Executivo Estadual.

TRAJETÓRIA

Nascido em Rio Verde (GO), em 1972, José Eliton de Figuerêdo Júnior é filho de José Eliton de Figuerêdo e Mirtes Guimarães Figuerêdo. O novo Governador é casado com Fabrina Müller Figuerêdo e pai de dois filhos: Fernando e José Netto. 

Formado em Direito pela Universidade Católica de Goiás (hoje PUC-GO), em 1996, José Eliton tornou-se advogado especializado em Direito Eleitoral, com larga atuação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e no Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO). Foi membro da comissão de juristas do Senado Federal responsável pela elaboração do anteprojeto de reformulação do Código Eleitoral Brasileiro. 

Sua biografia profissional na seara do direito ofereceu-lhe experiências importantes. Foi tesoureiro do Instituto Goiano de Direito Eleitoral (IGDEL). Integrou a Comissão de Direito Político e Eleitoral da OAB-GO. Fez parte da Comissão de Advogados Publicistas da OAB-GO. 

 Em 2010, foi eleito vice-governador do Estado de Goiás na chapa majoritária com Marconi Perillo e reeleito em 2014. No ano seguinte, assumiu a presidência da Companhia Energética de Goiás (Celg-Par). José Eliton de Figuerêdo Júnior assumiu, em janeiro de 2015, o segundo mandato como vice-governador de Goiás. Ainda naquele ano foi secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED). 

Assumiu o Governo do Estado em 20 oportunidades. Chefiou missões internacionais do Governo de Goiás e comanda negociações que resultam em importantes investimentos que fortalecem a economia do Estado. José Eliton foi secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSPAP) e presidiu o Pacto Interestadual de Segurança Integrada que engloba 15 unidades da federação. 

Presidente do Conselho de Desenvolvimento do Estado (CDE) que tem a função, entre outras, de analisar e aprovar cartas-consultas de solicitação de financiamentos dos empresários goianos junto ao Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO). Integrou o Conselho Deliberativo (Condel) da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco). 

Também foi Conselheiro titular no Conselho Deliberativo do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Goiás (Sebrae GO). Presidiu o Fórum Estadual das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte de Goiás (Femep-GO) e foi Presidente do Conselho de Administração da GoiásFomento.

MARCONI PERILLO

Nascido em 7 de março de 1963, Marconi Ferreira Perillo Júnior é o primeiro filho de Marconi Ferreira Perillo e de Maria Pires Perillo e tem três irmãos: Antônio, Vânia e Tatiana. Casado com Valéria Jaime, tem duas filhas Isabela e Ana Luisa. Cursou o ensino fundamental no Colégio Estadual de Palmeiras. Mudou-se para Goiânia aos 15 anos para cursar o ensino médio no Colégio Pré-Médico. Passou em três vestibulares, mas abandonou os cursos por conta do trabalho e da militância política. 

Em abril de 2012, Marconi concluiu o curso de Direito. Na década de 1980 Marconi era assessor especial do então senador Henrique Santillo. Durante sua militância se elegeu presidente do PMDB-Jovem e posteriormente presidente da ala jovem em nível nacional. Em 1990 se elegeu deputado estadual (12ª Legislatura). 

Em 1992, Marconi Perillo e Henrique Santillo, juntamente com outras lideranças do PMDB, igressaram no Partido Social Trabalhista (PST). Em 1993, PST e PTR (Partido Trabalhista Renovador) se fundiram criando o Partido Progressista. Em 1994, Marconi Perillo é eleito deputado federal pelo PP. 

Em 1998, já no PSDB, saiu candidato a Governador com apenas 35 anos, tornando-se então o mais jovem governador do Brasil, quando derrotou Iris Rezende. Reelegeu-se em 2002, no primeiro turno. Em 2006, não concluiu seu mandato, desincompatibilizando-se em 31 de março para concorrer ao Senado Federal. Foi eleito com 75% dos votos. 

Em 2010 disputa novamente o Governo do Estado com Iris Rezende, sendo eleito para o terceiro mandato com 1.551.132 votos. Em sua última eleição para o cargo, em 2014, recebeu mais de 1 milhão e 600 mil votos em chapa majoritária formada com José Eliton.

Sugestões e críticas, mande um Zap para a Redação

whatsapp 512

62 9 9820-8895

+ SAIBA MAIS, PESQUISE NO DG

SEARCH