23 de abril de 2024
Goiânia

Polícia investiga suspeitos de aplicarem “golpe do motoboy” para usar cartões de crédito das vítimas

Camionete foi apreendida em operação. (Foto: Deic)
Camionete foi apreendida em operação. (Foto: Deic)

Duas pessoas foram presas na segunda-feira (15), em Goiânia, suspeitas de participarem de um esquema para aplicar o “golpe do motoboy”. Além disso, outros dois foram autuados em flagrante pelo crime de receptação qualificada. Diversos documentos, máquinas de cartão e itens como joias e garrafas de bebidas foram apreendidos.

Segundo a Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Deic), o golpe ganhou força no período de epidemia. Ele é geralmente aplicado em idosos, que recebem ligações em um telefone fixo de uma pessoa que se passa por funcionário de algum banco. Os golpistas dizem que o cartão da vítima foi clonado e a induz a fornecer dados, inclusive senha. Em seguida, o falso funcionário do banco alega que o cartão precisa se retido ou levado à polícia e faz com que a vítima o entregue a um motoboy supostamente contratado pelo banco.

De acordo com a Deic, os transportadores nem sempre sabem que participam do golpe e entregam o cartão a quem os contratou. Os golpistas, com cartão e senha em mãos, utilizam todo o saldo existente na conta da vítima.

A Operação Card Seeking aprendeu diversos itens frutos. Entre eles está uma camionete, um jet ski, 12 maquinetas de cartão, joias e garrafas de bebidas que foram avaliadas em mais de R$ 2 mil por unidade. Objetos adquiridos com os cartões furtados também foram apreendidos.

Segundo a Polícia Civil, várias vítimas do grupo foram identificadas. As investigações prosseguem para identificar outros integrantes da associação que pratica os golpes.


Leia mais sobre: Destaque 2 / Goiânia